segunda-feira, 24 de julho de 2006

SEGUNDA

O Geraldo esteve em Santa Catarina no final de semana mas pouca gente viu, porque um tal de Alckmin insistia em aparecer nas fotos ao lado do LHS. Não sei não, mas essa estratégia dos marqueteiros tucanos, de querer que a gente chame o candidato deles de Geraldo, achando que Alckmin é muito complicado pro povo, mais atrapalha que ajuda. Vai que o pessoal ache que são mesmo dois candidatos?

ORDEM NA CASA, AFINAL
As gestões do PDT na Secretaria de Estado do Desenvolvimento, Trabalho e Renda (com os deputados Godinho e Cezar Cim) deixaram uma situação de terra arrasada. Servidores debandaram, os que ficaram perderam o ânimo, os programas sociais foram utilizados de forma equivocada, o Ministério Público foi acionado e a imagem de Santa Catarina junto aos órgãos do governo federal que cuidam da área social, nunca esteve tão por baixo.

Mas amanhã, às 18h, assume como secretária a professora Zuleika Mussi Lenzi, com a tarefa de cuidar dos problemas mais urgentes, para colocar, nos meses que restam, ordem na casa. “O secretário interino, o Içuriti, já começou a tratar dos casos mais graves, recolheu os carros e encaminhou várias providências”, disse a professora. No dia seguinte à posse ela vai a uma reunião do governo federal, em Palmas, TO, para começar a tomar pé da situação das verbas e programas que a secretaria gerencia aqui no estado, como o Sine.

Perguntei a ela se iria demitir os comissionados fantasmas que ainda assombram o prédio da secretaria e ela me disse que talvez nem seja preciso: “acho que eles já se demitiram”.

Zuleika Lenzi é peemedebista com uma vida partidária ativa e presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher.

LULA CANDIDATO
Parece meio estranho, mas oficialmente o primeiro discurso de Lula como candidato à reeleição foi no sábado, num lugarejo chamado de Brasília Teimosa, em Pernambuco, seu estado natal. Os discursos anteriores não eram de candidato.

Lula usou o teleprompter (coisa que ajuda a ler o discurso sem precisar abaixar a cabeça), mas improvisou uma frase o outra e aí deu a entender que se sente agredido injustamente pelas acusações de falta de ética e vai dar o troco.

O PROBLEMA DO PT
Desde que começaram os escândalos na base do governo, o PT e seus dirigentes optaram por uma linha de defesa completamente torta (a meu ver): tipo assim “todo mundo faz, quem nunca roubou que atire a primeira pedra”. E se sentem ofendidos por causa dessas “acusações sem fundamento”, como se cada vez que a gente falasse nos desvios de conduta de Delúbio, Marcos Valério e tantos ourtos, estivesse mentindo para a população. Só porque outros partidos, quando estiveram no poder, fizeram igual ou pior, o PT e Lula não querem que a gente fale nisso. Pra não falar seria preciso que a roubalheira não tivesse acontecido. Mas aconteceu.

CANDIDATOS QUERIDOS
A história política recente do Brasil tem vários exemplos de polítcos que “todo mundo” acha ou achava o máximo. Honestos, decentes, trabalhadores, um exemplo para o País. Mário Covas era um deles, Ulysses Guimarães, outro, e, de certa forma, também Brizola. E todos esses, quando foram candidatos a presidente, receberam votações insuficientes.

Parece que é o que vai acontecer com a queridinha do momento, a senadora Heloísa Helena, que está recebendo tantos afagos. “Todo mundo” gosta dela (menos, é claro, os bancos e investidores internacionais), mas na hora de votar...

RESPONDA RÁPIDO
E se na hora do voto aparecesse só o nome da coligação, tu saberias em quem votar? Tá lá “A força do povo”, ou “Por uma nova Santa Catarina”, ou “Frente de esquerda”, ou “Salve Santa Catarina”, ou ”Todos por toda Santa Catarina” e agora?

Pois então, vou te ajudar: “Força” é Fritsch (PT); “Por uma nova” é Sontag (PSB); “Frente” é Fachini (PSOL); “Salve” é Amin (PP) e “Todos por toda” é Luiz Henrique (PMDB). Como é coligação tem outros partidos envolvidos na composição da chapa.


ADIVINHAS TURÍSTICAS
Atenção para o resultado do fantástico concurso turístico da coluna do final de semana. Mostrei três fotos e fiz três perguntas, esperando que todos corressem para responder. Mas acho que o prêmio (um abraço, um aperto de mão ou um beijo, conforme o caso) não entusiasmou, porque só recebi poucas respostas, todas completamente erradas.

Mas vamos ao resultado do teste (quem não viu o jornal do final de semana pode olhar a miniatura das fotos, aí em cima e aqui no blog é só rolar a tela pra ver mais embaixo as fotos grandes e as perguntas):

1. O nome da montanha atrás da bicicleta é Morro da Boa Vista, que tem uns 900 m de altura e orna o horizonte de Jaraguá do Sul.

2. O rio que aparece na foto é o Itajaí-Açu, na beira da BR 470, entre Blumenau e Rio do Sul, já na região conhecida como “alto vale do Itajaí”.

3. A igreja da foto é a catedral diocesana de Lages, construída entre 1912 e 1921. E por causa do Frei Rogério Neuhaus, lendário franciscano conhecido como “missionário do planalto catarinense” falecido em 1934, o nome masculino mais comum em Lages é... Rogério. Praticamente todo mundo tem Rogério no nome.

Conforme for, semana que vem eu faço mais um concurso turístico.

3 comentários:

Anônimo disse...

É o melhor site colunista que tenho acompanhado, desde que tomeir por hábito. Parabéns, pois os textos são de forma clara e bem entendido, e mais do que isso, não se tem rodeios...

Parabéns.

José Antonio Ribeiro
Brunópolis - SC

strixflamea@bol.com.br disse...

ADIVINHAS

Cacete. Não respondi porque pensei que as foto fossem todas de um só municipio. Nasci em Ibirama (isso explica uma foto). Meu avô foi um dos responsáveis pela construção da Catedral de Lages.
Só o morro é que não poderia identificar.
Da construção da catedral tenho ainda algumas ferramentas (poucas) utilizadas na obra.

Anônimo disse...

O Código de Trânsito Brasileiro prevê:
"Art. 235. Conduzir pessoas, animais ou carga nas partes externas do veículo, salvo nos casos devidamente autorizados:
Infração - grave;
Penalidade - multa;
Medida administrativa - retenção do veículo para transbordo."
Será que para os políticos o CTB não vale.
E ainda falam em educação para o trânsito.
Que pessimo exemplo.