sábado, 2 de junho de 2007

Sábado, domingo e segunda

LHS FOI VER O TAMANHO DO ESTRAGO FEITO PELA OPERAÇÃO MOEDA VERDEOficialmente, era uma visita ao projeto de arqueologia subaquática, que recolhe material de embarcações antigas que afundaram nas costas da Ilha de Santa Catarina. Mas é só olhar para as caras do LHS (de gravata) e do marqueteiro Vilfredo (de camisa preta), pra ver que eles estavam se sentindo, na verdade, diante dos destroços causados pela passagem da moeda verde em setores do governo e do PMDB.

CORRUPTORES
Já falei nisto aqui, há algum tempo, mas acho que não é demais voltar ao assunto: a gente odeia os corruptos, mas tolera os corruptores. Talvez porque, no fundo, a gente sonhe um dia ser convidado a ficar uns dias por conta, num resort de luxo, ou a andar por uns tempos com um carrão importado, para “experimentar”. Quem sabe até ganhar uma cestinha de Natal forrada com verdinhas...

E agora, quando as conversinhas íntimas, do “mô quirido” com o “mô amigo” aparecem na TV, aposto que tem gente que morre de pena do “grande empreendedor” exposto dessa maneira tão rude e indelicada.

Ora, ora, dona Aurora, quando se tratou de pedir favores, de encontrar caminhos à margem da lei, na ensombreada trilha da marginalidade chique, ninguém pensou duas vezes no vexame. A vergonha foi ter dado uma rasteira na ética e um chega-pra-lá no bom senso. Isto de ver o nome no jornal e a voz na rádio e na TV, é o de menos.

TELEFONE PÚBLICO

Uma boa e saneadora providência para o futuro: todo agente público, no momento em que toma posse, passa a ter, compulsoriamente, seus telefonemas gravados e, de tempos em tempos, divulgados. Tal e qual suas declarações de renda. Acaba-se de vez com essa frescura de “privacidade” com dinheiro público. Se é remunerado por nós ou mexe com nosso dinheiro, passa a poder ser ouvido, gravado, filmado e fiscalizado o tempo todo.

CONTAS DO GOVERNO

Comentei ontem o relatório do Tribunal de Contas do Estado sobre as contas do governo (diz que tem vários problemas, mas recomenda a aprovação). E recebi algumas manifestações muito interessantes.

Uma delas lembra que, no caso dos prefeitos e das prefeituras, o TCE é muito mais rigoroso. Contas com tantas ressalvas e recomendações seriam sumariamente reprovadas. E espera que essa flexibilidade, compreensão e carinho vistos no relatório a respeito do governo sejam estendidos aos próximos julgamentos municipais.

O VALENTÃO CHAVEZ
Como todo fanfarrão autoritário, o ditador da Venezuela faz pouco do Congresso brasileiro. A gente sabe que o nosso Congresso não é lá essas coisas, mas é nosso e foi eleito por nós. E aqui, apesar do delírio de alguns, ainda vigora o estado democrático, há liberdade de expressão e as instituições funcionam razoavelmente.

Seria muito apropriado que o presidente do Brasil desse ao Chavez uma resposta à altura e não aquela coisa tímida, medrosa e constrangedora que ouvimos antes dele mandar convocar o embaixador bolivariano da chavezuela.

O DEINFRA DA VEZ
Os antigos colunistas sociais, como Ibrahim Sued, Jacinto de Thormes e mesmo o Zózimo, mais moderno, gostavam de brincar com uma expressão: “não será surpresa para esta coluna”.

Pois não será surpresa para este colunista se os faróis investigativos voltarem-se, em algum momento, para o Deinfra (o órgão que sucedeu o DER). Mas igualmente não será surpresa se, tal e qual a Codesc, o Deinfra receber um tipo especial de blindagem e ficar de fora de qualquer investigação.

O relacionamento especialmente amistoso, generoso e fraterno entre empreiteiras e graduados servidores públicos estaria causando alterações visíveis no comportamento dos patrimônios individuais. Mas, como disse, tudo é possível, inclusive não acontecer absolutamente nada.

Afinal, nos dias que correm, o que não faltam são explicações, álibis e habeas corpus prontos nas gavetas.

3 comentários:

marcello disse...

Prezado Cesar
O Lula bem que poderia ser mais firme com o Chavez hein? Já basta o Evo Moralez tirar farinha com a história das refinarias da Petrobrás...

Anônimo disse...

Por curiosidade, vejo nas ruas um FIAT Idea 1.8, o modelo mais caro com o nome DEINFRA na porta, não sei porque comprar um carro mais caro, tendo outras versões mais em conta, ainda mais só usado para transportar os servidores.

Blogue da Magui disse...

Seu blogue é excelente e trás muitas informações preciosas , ficando difícil comentar tudo.Eu queria apenas dizer que a venezuela não é nada perto do Brasil e o cara pode falar pelos cotovelos e vai se danar.É claro que, oficialmente deve haver resposta, mas pensando bem o quê o Congresso tem que debater coisas de lá quando a pauta está abarrotada e tanta vergonha acontecendo com essa corja?