quarta-feira, 20 de setembro de 2006

QUARTA

NÃO PERCA!
Em cartaz nas melhores delegacias da Polícia Federal e no Tribunal Superior Eleitoral, mais um episódio da fantástica fábrica de crises do PT!
Explicações e mais explicações, notas oficiais, cartas de demissão, choro e ranger de dentes, acusações mútuas e baixarias variadas.
A campanha eleitoral é uma festa!

Ô DA POLTRONA!
O ser humano tem uma capacidade inesgotável de fazer trapalhadas. Quando a gente acha que já fizeram todas as besteiras possíveis, sempre aparece alguém ainda mais criativo. Pois estava o candidato Lula da Silva tranqüilo, à frente das pesquisas, com enormes possibilidades de vencer já no primeiro turno, esperando que nada acontecesse, quando os trapalhões do PT resolveram dar uma mãozinha para o Mercadante, candidato ao governo de São Paulo. E armaram um dos esquemas mais furados e amadores de todos os tempos. Um negócio tão mal feito que a própria Polícia Federal do governo Lula não teve outro remédio senão prender vários deles com a boca na botija. E o ministro Tarso Genro chamou a trapalhada de Operação Tabajara, referindo-se é claro, às Organizações Tabajara, do Casseta e Planeta.

Primeira trapalhada
O pessoal que montou a jogada negociava, por telefone, com os Vedoin, aqueles que estão mais sujos que pau de galinheiro. Como inteligência é coisa escassa, nem desconfiaram que a Polícia Federal poderia estar escutando os telefonemas. Estava. E foi assim que soube de tudo.

Segunda trapalhada
Os trapalhões do PT saíram oferecendo o dossiê para os veículos de comunicação. A revista Época colocou hoje, no seu site, uma nota onde conta o encontro que um dos seus jornalistas teve com Jorge Lorenzetti e Oswaldo Bargas, num hotel de São Paulo: os dois petistas queriam saber se a revista se interessaria por um dossiê contra Serra. Uma semana depois, a revista Isto É publicou a entrevista com os dois Vedoin acusando Serra. Os dois trapalhões disseram à Época que o presidente do PT, Ricardo Berzoíni, estava sabendo que eles estavam lá.

Terceira trapalhada
O faz-tudo de Lula, o tal Freud, com barba por fazer e mal vestido, dá uma estranhíssima entrevista onde fala que Lula, o presidente em pessoa, tinha ligado para perguntar a ele que história era essa. Não mais tem como Lula dizer que não sabia de nada: ele falou com o Freud.

Quarta trapalhada
O partido que estava falido, quebrado, com as trapalhadas do Delúbio, resolveu pagar uma montoeira de dinheiro, cerca de R$ 1,7 milhão em grana viva, por algumas quinquilharias de duvidoso efeito. Como disse hoje o presidente do PSDB, “a oposição não dará um minuto de paz ao governo até que se esclareça de onde veio essa dinheirama e sejam apontados todos os culpados".

E poderíamos entrar jornal a dentro enumerando as trapalhadas dos dirigentes petistas que criaram, do nada, uma nova crise política que pode até se transformar em crise institucional.

CHURRASCO EXPIATÓRIO?
O catarinense Jorge Lorenzetti, diretor licenciado do BESC, pediu demissão da função de analista de risco e mídia que exercia no comitê de campanha de Lula. Parece querer assumir sozinho todas as trapalhadas, para tentar estancar a sangria e conter a crise. O ministro Tarso Genro sugeriu que Lorenzetti deveria se afastar do PT.

Ricardo Berzoini, o presidente do PT, chegou a convocar uma entrevista em Brasília, ontem à tarde, para explicar sua participação no esquema, mas desistiu e só distribuiu uma nota oficial chocha, dizendo que sabia, mas não sabia e condenando o denuncismo.

Lorenzetti distribuiu uma carta de despedida melosa e incompleta, que não ajudará, como talvez tivesse pretendido, a encerrar a crise. Ao contrário. O que nos leva a uma questão adicional: que belo analista de risco e de mídia nos saiu o professor Lorenzetti, hem? Nem notou onde se metia?

Não fosse ele um petista histórico e membro ancestral do campo majoritário, alguém poderia levantar a suspeita que estava a serviço da candidatura de Alckmin. Porque além de não beneficiar Mercadante, de não fazer nem cosquinha em Serra, só conseguiram, com a armação, agitar a campanha e acordar a militância de Alckmin, que em muitos estados já estava enrolando as bandeiras e indo pra casa, desanimada.

A coisa está feia. Muito feia. O TSE vai investigar o caso como “abuso de poder político-econômico” para favorecer Lula. Desta vez parece que os trapalhões foram longe demais... mas eles sempre poderão se superar, como têm feito a cada novo escândalo.

O CRIME DA GASOLINA
Pro Balneário Camboriú não ficar de fora do noticiário policial-eleitoral, um candidato-trapalhão local resolveu distribuir gasolina grátis. A matéria está logo ali, na página 11. O negócio estava tão fácil e democrático que pra ganhar a gasolina nem precisava colocar o adesivo do candidato. Se eu fosse o Pavan e o LHS dava um cascudo em quem teve essa idéia de jerico. Porque vai acabar sobrando pra eles.

E, assim como o Lula, tudo o que o LHS não precisa é que “aliados” inventem modas como essas, que acabam abastecendo mesmo é o carro da campanha do Amin. Essas histórias de distribuir gasolina em época eleitoral sempre podem resultar em incêndio.

TCE DE OLHO NA PALHOÇA
O Tribunal de Contas do Estado mandou o Rei Nério, prefeito da Palhoça parar a licitação para escolher a empresa que iria assumir a dívida ativa do município. A coisa tinha pelo menos três irregularidades e o Rei do PMDB tem cinco dias para se explicar, corrigir os erros ou anular a licitação.

O Tribunal considera que a cobrança da dívida ativa é uma atividade pública essencial, que não pode ser terceirizada por contrariar até a Constituição. Mas, é claro, deve ser um bom negócio, senão a prefeitura não faria tanta questão de levar adiante.

5 comentários:

Cristina disse...

da vontade de implicar contigo e dizer que cada jornalista tem o "Watergate" que merece, mas prefiro dizer que o jornalista de Florianópolis me fez dar boas gargalhadas de mais um episódio lamentável.

Beijo
Cris

Ledzeppa disse...

Muito boa a coluna hj!

Anônimo disse...

Cesar,

O Lorenzetti ainda nao se demitiu do Besc. O Mescotolo (que nao tem nada de tolo) espera que hj ela aconteca. Os Diretores do Besc que sao funcionarios do Banco Central ja estao pressionando. Diversos telefonemas foram trocados. Um deles, fez consulta ao ex-presidente Natalicio Pegorini, qual o caminho a seguir. A decisao esta nas maos do Diretor do Banco Central Gustavo do Vale, caso o Lorenzetti nao tenha a iniciativa de se demitir. Aguardar pra ver.

Anônimo disse...

O churrasqueiro com nome de chuveiro, sai do Besc e vai pra onde nunca devia ter saido: Banheiro. Melhor do que cadeia.

Anônimo disse...

O churrasqueiro tem uma Ong que recebeu uma grana preta do Governo Federal. Pode ter saido dai a grana do dossie. As investigacoes continuam.