sábado, 14 de julho de 2007

Sábado, domingo e segunda

(A coluna foi feita antes do Lula ser vaiado no Maracanã, na abertura do Pan. As fotos, naturalmente, são de ontem à tarde, quando tudo ainda era só alegria.)

A LEI DA HOTELARIA
Num final de semana tão festivo, com abertura do Pan e a (im)previsível vitória sobre a Argentina, eu nem deveria entrar nestes assuntos mais sombrios, mas não posso deixar pra depois.

Os hoteleiros e o prefeito da capital ocuparam largos espaços em jornais, rádios e TVs, nos últimos dias, para defender a tal lei que daria um benefício, “um incentivo”, àqueles empreendimentos tão úteis e importantes numa cidade com inegável vocação turística.

Tal como tantas outras discussões envolvendo corrupção, o foco acaba sendo desviado, aparentemente com o único propósito de que tudo acabe em pizza.

Ninguém contesta o fato de que Florianópolis deve ter uma política tributária que estimule a atividade turística. Mas ao ouvir as declarações do prefeito, por exemplo, fica-se com a impressão que aqueles que viram irregularidades naquela lei são, automaticamente, contra a hotelaria, o turismo, a cidade e o progresso.

E isto é uma rematada bobagem. É perfeitamente possível o cidadão honesto, contribuinte zeloso de seus impostos, concordar que alguns setores da economia devem ter uma carga tributária menor, e mesmo assim achar que isso deve ser feito dentro da lei e de tal forma que os aproveitadores de sempre não possam lavar a égua, encher a burra e locupletarem-se com nosso dinheiro.

LEI DESFIGURADA
O problema principal também não é o prefeito ouvir ou falar com os interessados em pagar menos imposto. O nó da questão é que, ao ler as versões da proposta, a lei como foi aprovada e os vetos do prefeito, percebe-se que se trata de uma lei perigosamente mal feita.

De tanto cortar aqui e ali, foram eliminando os controles básicos, por exemplo, para evitar que empresários fajutos sejam beneficiados. Ou que se beneficie quem não cria empregos.

Se este é um tema que lhe interessa, vá ao blog do Vieirão (vieirao.com.br), para ver o texto da lei, como era e como ficou, com alguns comentários sobre o efeito das modificações e supressões. E depois tire você mesmo suas conclusões.

CHEFE ENROLADO
A propósito do “comunicado” do presidente da Ceasa/SC, que publiquei ontem, o leitor Osvaldo Peixoto manda a “Lei do Chefe Enrolado”, que é uma das Leis de Murphy:
“O chefe que tenta impressionar os subordinados com o seu conhecimento de detalhes complicados, perdeu de vista a complicação essencial.”
CV NO CH
O colega Cláudio Humberto, cuja coluna é publicada aqui na página 4 (e em mais dezenas de jornais Brasil afora), tem também um blog, muito acessado (http://www.claudiohumberto.com.br/). E, ontem de manhã, ao publicar uma nota sobre as escutas da PF em Santa Catarina, que levantaram várias suspeitas, entre as quais a de caixa 2 na campanha do ano passado, teve o cuidado (e a gentileza profissional) de registrar que “parte das escutas foi divulgada com exclusividade pelo jornalista César Valente.”

E ainda colocou um “link”, na nota, para este blog. Como resultado, o deolhonacapital.blogspot.com foi visitado por algumas centenas de novos leitores.

ESSES JORNALISTAS...
Semana que vem tem eleição para a diretoria da Federação Nacional dos Jornalistas. O manezinho Sérgio Murilo é candidato à reeleição, na chapa 1. E tem uma chapa 2.

Pra ajudar (ou atrapalhar) quem vota, procurei saber alguma coisa sobre as duas chapas. São ambas, em princípio e genericamente, petistas. Mas a chapa 1 é menos: o Sérgio não está mais atuando no partido e muitos da chapa nunca foram vinculados ao PT.

A chapa 1, até por ser a situação, tem apoio da maioria dos sindicatos e foi montada com representantes da maioria dos segmentos da categoria.

Na chapa 2, o candidato a presidente trabalha no Centro de Informação da Câmara e a maioria dos componentes são assessores do governo ou trabalham em ONGs. Aparentemente o governo veria com melhores olhos a eleição da chapa 2.

A chapa 1 mantém as propostas já conhecidas da Fenaj, em defesa da obrigatoriedade da formação específica e da regulamentação da profissão.

A chapa 2, pelo que está no seu site, tem como foco a “apatia” da atual Fenaj. E ponto.

Para que vocês não digam que eu estou fazendo campanha pelo meu amigo e ex-aluno Sérgio Murilo, o site da chapa 1 é http://www.chapa1fenaj.org.br/ e o da chapa 2 é http://www.lutafenaj.com.br/. Divirtam-se.

5 comentários:

Anônimo disse...

Perfeito! Nosso Governador, reeleito pelo povo mostra a cada dia sua elegância e postura ética inigualável.
Parabéns LHS, toda Santa Catarina está com vc.

Anônimo disse...

Cesar,

Dei uma olhada agora nas colunas anteriores e vi o comments do Damião sobre o bloq dos blogs aos funcionários públicos.

Claro que o Governo que a cada dia está mais perto dos ditamoes da Ditadura, irá bloquear essa eficiente ferramenta da informação.

Talvez a RBS nao deixe acontecer essa liberação.

Aproveitando a deixa acho que o Governador nao é nada ético quando alia uma viagem de institucional com o casamento de sua filha. Alias acho isso IMORAL.

Anônimo disse...

O comentário do primeiro anônimo só pode ter sido gozação! Temos um chefe do executivo seguido por uma cambada de puxa-sacos! E a conivência dos aliados é tanta que embarcam nas viagens pelo mundo afora felizes da vida, um mais tolo que o outro. Que retorno isso traz pra SC?

mosquito disse...

então tá , o Sergio Murilo é chapa branca , e a oposição é chapa Alva.

Anônimo disse...

Pelo que sei a Ministra Dilma não é Gaúcha. Ela trabalhou bastante tempo por lá mas não nasceu no RS.