sexta-feira, 3 de agosto de 2007

Sexta

Alegria, alegria, vamos iniciar a sessão em homenagem aos parlamentares mortos!
Quase não acreditei quando li a legenda que a Agência Brasil colocou nestas fotos, tiradas quarta-feira, que estão ai em cima. Dizia, sem tirar nem por:
Brasília - O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), apresentou hoje (1º) com outros senadores voto de pesar pela morte do senador Antonio Carlos Magalhães (DEM-BA) e dos deputados Júlio Redecker (PSDB-RS) e Nélio Dias (PP-RN). Em seguida, suspendeu a sessão e convocou sessão extraordinária para esta quinta-feira. Fotos: José Cruz/ABr
Se o leitor ou a leitora ficou curioso para saber do que Renan tanto ri, basta perguntar para o nosso senador, Neuto de Conto (PMDB), que é aquele com a pastinha, na extrema direita, na rodinha onde também está o Mercadante (PT). Todos achando muita graça. A piada deve ter sido mesmo muito boa.

CARACAS!
NINGUÉM CONTA NADA PRO LULA!
ELE CONTINUA SEM SABER NADA DE NADA!

Notícia da agência Estado, publicada às 14h45min de ontem, dia 2:
“BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reconheceu nesta quinta-feira, 2, na reunião do Conselho Político, que o governo não sabia da gravidade dos problemas no setor aéreo. “Nessa questão, é como uma metástase que o paciente não sabia”, teria comparado Lula, de acordo com relato de participantes. (...)

O presidente observou que em cinco eleições para a Presidência da República de que participou, a questão aérea nunca foi debatida. Ao comentar a possível troca dos dirigentes da Agência Nacional da Aviação Civil (Anac), Lula recomendou cautela. “É preciso discutir essa proposta com calma, porque o presidente nomeia, mas não pode substituir”, teria dito ele.”
IVO SILVEIRA
O ex-governador Ivo Silveira morreu ontem, aos 89 anos, depois de uma breve internação hospitalar. Até algumas semanas atrás, lúcido e interessado, participava dos atos para os quais era convidado, sempre disposto e bem humorado.

Foi velado na Assembléia Legislativa, prédio que construiu quando foi governador, entre 1966 e 1971 (ele era deputado quando o prédio antigo foi destruído por um incêndio).

Político da antiga escola do PSD, gostava de conversar com quem encontrasse na rua. Gabava-se de não ter enriquecido com as funções públicas que exerceu. Curiosamente, foi homenageado, ainda em vida, com a atribuição de seu nome a uma das avenidas mais importantes de Florianópolis.

O presidente da Assembléia, deputado Julio Garcia (DEM), disse que “Ivo Silveira era um homem simples, afável, um administrador correto, que teve uma vida pública retilínea. Essas são as marcas da querida figura que hoje perdemos e que fica como referência aos homens públicos”.

O jornalista Carlos Damião, no seu blog (carlosdamiao.blogspot.com), relembra alguns episódios desse político que tantos admiram e respeitam.

TRAGÉDIA LÁ E CÁ
Pontes caem, aviões explodem (ou se chocam), desgraças acontecem em qualquer lugar do mundo. O que pode fazer alguma diferença é a maneira como as coisas são apuradas e os responsáveis punidos. Será interessante acompanhar em que vai dar a investigação sobre o acidente com a ponte nos Estados Unidos. Pelo menos para ver se lá, como cá, as paixões políticas e os interesses econômicos conseguirão driblar a lei e criar uma cortina de fumaça e impunidade.

PÁRA TUDO!
A Codesc acatou recomendação do Ministério Público Federal e cancelou “todas as autorizações para operações de loterias promocionais e de números deferidas pela Companhia com base na legislação estadual, inclusive as que já foram eventualmente concedidas”.

No ofício, assinado no dia 30 de julho, o ex-presidente Executivo, Içuriti Pereira da Silva, informou ainda que “o único ente que poderá autorizar as modalidades lotéricas no Estado é a Caixa Econômica Federal (CEF)”.

Parece ter sido este o último ato do Içuriti, fechando o ciclo da Codesc como fomentadora do jogo. E demonstra que, na queda de braço havida com o governo federal, o estado perdeu. Mas lutou com tanto empenho que chegou, em alguns momentos, a ser acusado de se confundir, perigosamente, com a ação e os interesses da contravenção.

DÁRIO OU NÃO DÁRIO?
O blog “A política como ela é”, que sucede o blog do Vieirão (e mantém o mesmo endereço, vieirao.com.br), traz uma advertência muito interessante aos vereadores da capital. O site, que defende as posições do PP, analisa o que pode acontecer a partir da apresentação de uma denúncia contra o prefeito Dário Berger.

“Um partido político protocolará essa denúncia nos próximos dias”, profetiza o blog. Aí, a batata quente passa para as mãos dos vereadores, que deverão decidir, em plenário, se recebem a denúncia e instalam uma Comissão Processante ou deixam a coisa como está.

O voto favorável de 8 vereadores instala a comissão, que será composta por três membros, escolhidos por sorteio, e terá 90 dias para realizar sua tarefa. Dependendo do relatório e da aprovação desse relatório pelo plenário, o prefeito poderá ser cassado ou não.

A advertência do ex-blog do Vieirão é clara: os vereadores, muitos deles amiguinhos do Prefeito desde a infância, poderão optar por não investigar as denúncias. Mas esta é uma aposta de risco: se o prefeito vier a ser denunciado no Tribunal de Justiça e/ou no TRF, como explicar aos eleitores que só a Câmara não cumpriu seu dever de fiscalizar o Executivo?

CUMA?
Tá tudo muito esquisito. Ninguém mais chama as coisas pelos seus nomes e a falta de noção clara do que as palavras dizem, acaba misturando os conceitos. Lula é o mestre insuperável dessa sopa de confusão ideológica e vernacular. Mas tem feito escola.

Ontem, o sargento Soares, deputado estadual catarinense, do PDT, distribuiu nota afirmando que está contra “a MP que favorece empresários e a classe burguesa”.

Uau! E eu que imaginava que, na eventualidade de usarmos essa categoria (a “burguesia”), estaria automaticamente incluído o empresariado. E muitos dirigente sindicais profissionais, que agem e vivem burguesamente.

Definitivamente, as palavras, usadas de qualquer jeito, perdem sua força e a carga de seus significados originais e acabam sendo esgrimidas apenas pela sonoridade de suas sílabas.

JUAREZ BLOQUEADO...
O ex-vereador Juarez Silveira teve seus bens e contas bancárias bloqueados provisoriamente (liminarmente), no curso de uma ação proposta pelo Ministério Público de Santa Catarina. Os procuradores acham que Juarez acumulou, ilegalmente, as funções de vereador e diretor da Codesc, entre abril de 2006 e maio de 2007.

O bloqueio visa garantir, no caso de condenação, a restituição de cerca de R$ 88 mil, correspondente aos salários recebidos na estatal. E mostra que ainda vai rolar muita água debaixo da ponte.

E OS OUTROS?

Em cima do processo contra o Juarez, um leitor pediu que eu perguntasse, ao Ministério Público, se não é o mesmo caso de um outro vereador da capital, que assumiu um cargo de diretor numa das secretarias do LHS. Como eu estou aqui para servir os leitores, fui lá perguntar.

E eles ficaram de examinar os processos que estão correndo, pra ver se tem algum envolvendo outro vereador. Se tiver, hoje eles me dizem alguma coisa. Se não tiver, está levantada a bola. É só chutar. Acho que seria bom para todo mundo que a limpeza fosse geral e irrestrita.

6 comentários:

mauricio disse...

Cesar.

Estou eu aqui novamente, feito parasito, utilizando seu blog como hospedeiro.

Pincei o fragmento abaixo da oração expressa pelo Lula, em comentário sobre limpeza que se faz necessária na administração da Anac e Infraero:

"... o Presidente nomeia, mas não pode substituir."

Pensei, então, sobre qual teria sido a idéia pretendida pelo Presidente neste caso.

Encontrei várias possibilidades, porém todas desfavoráveis ao Lula. Não vou comentar todas aqui porque ele pode vir a tomar conhecimento, ficar chateado e cair de cama novamente.

Limitarei a comentar somente uma das hipóteses:
"...o Presidente nomeia...", significaria que é ele quem assina a Portaria de nomeação e,
"...mas não pode substituir.", significaria que a indicação pertence a outra pessoa a quem o Presidente está submisso, ou seja, não é ele quem governa.

Desta feita, estaria ele declarando-se um fantoche.

Composição de governo tem limites. Será que o Lula também não sabe disso?

Anônimo disse...

Destaca-se que o vereador Juarez Silveira,anteriormente, também acumulou o cargo de vereador e diretor da COHAB/SC

Carlos Damião disse...

Meu caro Cesar:
na nota sobre a Codesc e loterias, é preciso ter claro que a Trimania e o Prêmio do Rei são modalidades lotéricas autorizadas pela Codesc. Tenho aqui um prospecto do Rei, escrito assim: "A Loteria de Números com finalidade beneficente-assistencial, operacionalizada pela Rede Feminina Estadual Central de Combate ao Câncer é autorizada pela Codesc com base na lei 3.812/1966 e Lei Complementar número 284/2005 e Resolução Codesc número 1.043/2006 e destina-se a premiar clientes que participarem da promoção composta de três etapas, no período entre 07.06.2007 e 26.08.2007".
Veja --- Nada contra a Rede Feminina, que faz um trabalho de primeiríssima [elas são batutas!!!]. Mas esses prêmios [Rei, Trimania e o extinto Casa Feliz] não são formas de bingos e deveriam, portanto, ser vinculados e autorizados pela União?

Abraço, Damião.

Anônimo disse...

Cesar,

O Juarez foi tambem diretor do Ciasc.

Zé Miguel disse...

No caso acima (leitor Maurício) há uma "preciosidade" na legislação: o sujeito é indicado pelo executivo, "eleito" pelo legislativo e, portanto, tem um mandato na agência reguladora. Assim sendo ele só sai quando o mandato terminar, ou quiser. Paulinho Bornhausen, reconhecidamente um craque na área de telecomunicações, foi conselheiro da Anatel por um mandato que se estendeu, inclusive, ao primeiro governo Lula.
PS: E brigou como cubano para se reeleger pela terceira vez..rsrs !!

Anônimo disse...

César e amigos comentaristas, dêem uma olhada no blog do Josias de Souza e vejam mais um papelão protagonizado pelo governador de Santa Catarina. O endereço é http://josiasdesouza.folha.blog.uol.com.br/

Marcelo Santos