sábado, 25 de agosto de 2007

Sábado, domingo e segunda


CANSEI!
Ser jornalista chapa branca não é fácil. É muita gente pra agradar e por mais que se faça, nunca é suficiente. Pois não é que até um cabo eleitoral da base veio me pedir pra empregar uma sobrinha na coluna? Mas o nome dela não podia aparecer e ela também não teria tempo de trabalhar...

Sem falar que não recebi nenhum presente, não me convidaram pra viajar (nem pra Guabiruba) e informação, que é bom, então, ficou ainda mais escassa (eles dizem que têm que atender primeiro os colunistas que são do contra, porque os a favor já falam bem).

Aí eu pensei com os meus botões: quer saber? Cansei! Tal e qual os chiques e famosos do João Dória, cansei de ser a favor. Vou voltar a ser o que sempre fui: nem contra, nem a favor, muito antes pelo contrário.

O PACOTE DO DÁRIO
O prefeito da capital, Dário Berger, que ontem entregou sua defesa à Comissão de Investigação e Processante da Câmara, quanto ao caso da Lei da Hotelaria, também divulgou um pacote de obras. Provavelmente inspirado no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) do governo federal, Dário criou uma espécie de PMA (Programa de Mudança de Assunto).

Até o dia 14 de setembro, quando inaugura o elevado do Itacorubi, a prefeitura vai ter novidade quase todo dia. Não é nada, não é nada, pelo menos contrabalança o noticiário oriundo da Câmara, que sempre tem alguma farpa pra cima do investigado.

Serão entregas de ordem de serviço, como a de ontem, em conjunto com a Casan,para construção do esgoto sanitário de Santo Antônio de Lisboa, Sambaqui e Cacupé, inaugurações e lançamento de vários projetos de “revitalização” de ruas (que deve ser um nome chique para reforma, conserto, limpeza e repavimentação).

O EMBRULHO DO DÁRIO

Por outro lado, o das notícias desagradáveis, a semana do prefeito será de grande suspense: os vereadores que compõem a tal comissão processante terão cinco dias para examinar a defesa e solicitar o arquivamento da denúncia ou uma investigação. Se for este o caso, será aberto um processo contra o prefeito, que poderá ser afastado.

O prefeito acabou aparecendo, meio mal na foto, nas escutas telefônicas que a PF fez, com autorização judicial, para investigar fatos relativos à operação Moeda Verde (a venda de licenças ambientais para autorizar empreendimentos imobiliários na ilha). As escutas acabaram registrando parte das negociações e tramitações que levaram à criação de uma lei municipal que beneficiaria hoteleiros, perdoando-lhes dívidas e dando outros incentivos fiscais. E é a conduta do prefeito nesse embrulho que está sendo questionada.

TEMPOS MODERNOS

Um dos fatos menos sonolentos do julgamento que se realiza, no STF (Supremo Tribunal Federal), para ver se a denúncia contra os 40 mensaleiros será aceita ou não, foi o flagra que as lentes de um fotógrafo deram, na conversa que dois ministros (do STF) mantinham, pelo computador, durante a sesão.

Provavelmente por ingenuidade ou excesso de confiança, eles escreviam e liam as mensagens, sem ligar para a multidão às suas costas. Ora, bons repórteres fotográficos sabem que devem ficar atentos a papéis que são deixados sobre as mesas e telas de computador. Sempre podem conter alguma informação interessante ou útil.

Feitas as fotos e revelado o conteúdo da conversa, a OAB reclamou de uma “invasão de privacidade”. Ora, não estavam em local privado, participavam de um processo público e as telas de seus computadores não estavam ocultas. O fotógrafo não teve que fazer nenhuma ginástica especial para obter as imagens. Bastou fazer o foco. Não havia privacidade a invadir.

A propósito, a comentarista Lúcia Hippolito sintetizou muito bem a questão, a partir de um ditado antigo:
“(...) de barriga de mulher, urna eleitoral e cabeça de juiz, não se sabe o que pode sair.

Atualmente, com a ultrassonografia e as pesquisas de boca de urna, só restou a cabeça de juiz.

Mas ontem, depois que O Globo publicou a troca de e-mails entre dois ministros do STF, em pleno julgamento, adiantando o voto de outros ministros, talvez não reste surpresa nem em cabeça de juiz.”
60 ANOS NO AR
A Rádio Clube de Lages, um dos ícones da comunicação catarinense, comemora hoje seu aniversário de fundação. Criada como um “sistema de alto falantes” no centro da cidade, por Carlos Joffre do Amaral, foi, ao longo de sua história, uma das emissoras de rádio mais influentes do estado e líder inconteste na sua região.

Um de seus comunicadores, o Maneca (Manoel Correa), hoje com 74 anos, apresenta, há 58 anos, o programa Alma Cabocla. O deputado Elizeu Mattos (PMDB), que esta semana homenageou a emissora na Assembléia Legislativa, acha que é um recorde digno de ir para o Guinness.

Roberto Amaral, herdeiro do fundador, expandiu os negócios e hoje, além da Clube tem as emissoras de TV do grupo SCC (afiliado à RedeTV!).

UFSC OCUPADA
Um leitor pergunta minha opinião sobre a invasão da UFSC por um grupo de estudantes. Em primeiro lugar, surpreende-me a falta de ação de quem deveria preservar o patrimônio público. E quanto às “reivindicações”: quase nada daquilo poderá ser negociado ou acertado sem que Lula queira. E Lula não quer. Mas o “movimento” faz de conta que não sabe disso e brinca de “ocupação”. E se dizem “magoados” com a tímida nota da Reitoria. A questão é: esse ato de violência está a serviço de que projeto político? Aposto que a maioria dos jovens que, idealistas e bem intencionados, embarcaram nessa canoa furada, também não sabe.

3 comentários:

Anônimo disse...

Você divulgou hoje, sábado, o aniveersário da Rádio Clube de Lages. Eu faço questão de informá-lo que no dia 10 p.p. a Rádio Belos Vales, de Ibirama, completou 52 anos. Antiga Rádio Estadual de Ibirama, teve como proprietário Evilásio Vieira (Lazinho), lá pelos anos 60/70. Naquela Rádio, onde trabalhei por algum tempo, tentei dar meus passos profissionais. Fiquei naquilo mesmo.
Néco Pelin
Fpolis/SC
necopelin@globo.com

mauricio disse...

Cesar.
Veja como o Dário é um cara azarado.
Não bastasse ele acreditar que a sociedade inteira (principalmente os meios de comunicação) esta focada somente em não permitir que ele trabalhe, agora, por causa dessas encrencas que estão manchando (ainda mais) a sua imagem, ele está tendo que gastar as inaugurações que guardava para as vésperas das próximas eleições.
As urnas nos esperam.

Anônimo disse...

Cesar.
Como tu, também fiquei surpreso com a falta de ação do reitor, que está ameaçando entrar com reintegração de posse desde a semana passada mas não faz nada.
Acho um absurdo esses movimentos (sociais ou de grevistas) impedirem as pessoas de transitar livremente por onde quizerem.
Jusiça neles.
Abçs
Antonio Carlos