sábado, 17 de março de 2007

Sábado, domingo e segunda

O PERSONAGEM DA SEMANA
O Hélio Costa que não é ministro, nem mineiro e nunca trabalhou na Globo, foi o protagonista do grande tititi da semana na capital. Apresentador do SBT Meio-dia, jornal de grande sucesso da Rede SC, da família Petrelli, foi arrancado dali a peso de ouro. A Rede Record, que anda, como nunca, cheia do dinheiro, comprou o passe do Hélio com uma oferta de peso: R$ 60 mil por mês, mais a multa contratual, estimada em cerca de R$ 100 mil na TV.

O motivo do interesse é óbvio: o programa do Hélio na TV era o único a ameaçar a liderança da RBS, ficando na frente em muitos momentos. O programa do Hélio na rádio +Alegria levou a emissora dos Petrelli, em pouco tempo, a liderar entre as AM. E no jornal Notícias do Dia, onde polícia é prato forte do cardápio, ele também tinha uma participação destacada.

Ontem, a Rede SC publicou, no jornal Notícias do Dia, uma “nota ao mercado publicitário”, onde deixava claro que o divórcio não foi ou não está sendo amigável. Afirmam, entre outras coisas, que cláusulas contratuais não foram respeitadas.

A bronca dos Petrelli é porque o Hélio não avisou que começaria na Record agora, nesta segunda-feira. Eles descobriram por acaso e aí tiraram imediatamente o apresentador do ar, substituindo-o pelo Nader Kalil. Nader também já assumiu o horário da manhã na rádio +Alegria. Na rádio, a multa contratual, caso o Hélio resolva sair, é de R$ 50 mil. Se quiser ficar, terá à sua disposição um horário à tarde.

O Hélio é um veterano da reportagem policial. Cinquentão, nascido Hélio Francisco da Costa, manezinho das Capoeiras (ou seria Coloninha?), tem uma longa história no rádio e na TV de Florianópolis. TV Cultura, Eldorado, Guarujá, Guararema, e a própria Record estão entre as casas onde trabalhou.

Durante uns 15 anos foi também, em paralelo com o trabalho no rádio e na TV, assessor de imprensa da Polícia Civil, um cargo comissionado. Ele diz a amigos que a melhor coisa que fez foi deixar a função pública e dedicar-se apenas ao jornalismo: “foi a partir daí que a minha carreira deslanchou”.

A decisão do Hélio, de aceitar a proposta da Record, provocou também uma mexida nos salários da sua equipe de produção. Sem o apresentador principal, o SBT fez um esforço para pelo menos manter a estrutura do programa. E assim, de uma hora para outra, salarinhos de R$ 1 mil, se tanto, transformaram-se em salariões de R$ 4 mil, o que, para o mercado jornalístico catarinense, é muita coisa.

O tempo dirá se ele fez um bom negócio, mas pelo menos conseguiu dar uma bela sacudida no mercado.

MALAS E VIAJANTES

COLEGUINHA – Como em tudo, não dá para generalizar nessa história de viagens com dinheiro público. Sempre tem umas malas que a gente não consegue entender por que foram e, ainda mais, por que voltaram. Mas tem gente que justifica sua presença, mostrando serviço. É o caso da repórter Adriana Baldissarelli, que apesar de trabalhar para uma organização comprometida até os ossos com o governo estadual e para veículos de comunicação que muitas vezes são mais governistas que o governo, tem feito um relato bem informativo da viagem. Coisa de profissional.

O material dela pode ser lido em www.centralcomunicacao.com.br, na coluna “Pelo Estado”.

Nota do editor distraído: o link para a coluna da Adriana, estava errado (tinha um "de" no meio – corrigi no domingo de manhã, avisado por um leitor) e levava para outra central de comunicação, em SP. Agora, aparentemente, está correto. Mil desculpas.

SEM ALÇA – Na outra viagem internacional que nós estamos pagando, cinco autoridades da área da segurança passeiam pela Colômbia. Foram o secretário da segurança, o comandante da PM, o chefe da polícia civil e alguns outros. Só que ninguém consegue explicar o que o prefeito de Palhoça, o REInério, está fazendo lá. Dizem que o Benedet, quando esteve em Palhoça, contou que iria à Colômbia e, meio de brincadeira, perguntou “queres ir?” Pois não é que o cara foi? Não é o governo que está pagando o passeio do mala, mas deve ser a prefeitura, porque ele nem se licenciou. Pode?

LACUNA – Agora só tem que ver se a ausência de toda a cúpula da segurança aumentou ou diminuiu a eficiência do trabalho policial...

CHORORÔ
O Lula transformou a posse dos três ministros (Justiça, Integração e Saúde), ontem, num ato de protesto contra o salário baixo dos ministros:
“Quando eu fico vendo os ministros, que ganhavam muito bem, virem ganhar 7, 8 mil reais, eu falo: esses são heróis. Alguns pagam para serem ministros, essa é a pura verdade”.
Então tá, né?

6 comentários:

Anônimo disse...

este hélio...
não é mais o mesmo, o dinheiro lhe subiu à cabeça... ganhava mais de 20 mil no sbt, sem contar os merchandisings, tinha na média 40 pontos de audiência (na record sua audiência era 6% há 3 anos) e por dinheiro, voltou para um tiro no escuro. agora vai dividir audiência com o SBT.
Mais uma vez, a RBS está rindo de tudo, se livrando da incômoda concorrência no horário do meio dia.
Desta ve o Hélio abandonou seus telespectadores e jogou no time dos gaúchos... que que por sinal, odeiam ele.

Ô seu istepô...

mauricio disse...

Cesar,
Sem desmerecer ninguém, mas a mudança de emissora, por parte do Hélio Costa nos propõe temas a meditar.
Não faz muito tempo, reporteres policiais ficavam, digamos assim, na sala dos fundos das redações.
Hoje, com a propagação desenfreada da violência, esta área do jornalismo ganhou espaço, valorizando o papel destes especialistas.
Daí, vem a pergunta: é melhor manter-se longe deste segmento da profissão, tido como "de segunda", em nome de um status de "culto", em detrimento de bons salários e possibilidade de mostrar seu trabalho?
Outra questão é a seguinte: será que não há jornalista capaz de preencher a lacuna deixada pelo Héio Costa no SBT? Será que é tão difícil assim? Afinal...
Abraços.

Anônimo disse...

HEROIS SAO OS GERENTES REGIONAIS QUE NEM FORAM NOMEADOS E JA ESTÃO TRABALHANDO(DE GRAÇA), INCLUSIVE USAM A ESTRUTURA DO ESTADO PARA FAZER LOBY. HERÓIS OU MEDROSOS DE PERDER A BOCA? CADÊ O MP E O TRIBUNAL DE CONTAS?

Thiago Duwe disse...

César, o link pra reportagem da Adriana não tá funcionando...é esse mesmo??
Tô curioso sobre a visão dela.

Abraço!!

Anônimo disse...

A audiência no canal dos crentes com polícia vai ser como sempre foi. Anote aí: depois do fim da novidade não passará de 20%, nem a pau juvenal!

Anônimo disse...

Anonimo,

Nesse pais e especialmente aqui em Santa Catarina, os orgaos de fiscalizacao e punicao a cada da sao mais coniventes com o Governo.

As agencias reguladoras seja nas telecomunicaoes ou na energia estao sempre vinculadas com as empresas que tem obrigacao de fiscalizar.

Imprensa, principalmete os grandes orgaos, continuam dependente das verbas oficiais e permitem que seus empregados viajem com o Governo com suas despesas pagas por ele (governo).

Assim, dessa forma, o Vereador Juarez, preso em flagrante com contrabando, continue Vereador e Diretor de Estatal. Assim, o Ex Deputado Cavalazzi eh o super secretario de uma Prefeitura que o cobra judicalmente por falta de pagamento dos seus impostos. Assim, e ainda dessa forma, o Eduardo Pinho Moreira, Presidente da Celesc nao paga o Besc. Faz pior. Diz que nao vai pagar, nao reconhecendo o contrato que assinou com sua mulher. Acumula salario da Celesc com o de ex-governador, tirando dos cofres publicos a bagatela de 50 milhas mes. Quantos medicos daria para pagar com essa grana?

O Ministerio Publico, o Tribunal de Contas estao fora disso tudo. Como tb estao fora os Deputados Estudais, que nomeraram 15 ( sei la quantos?) Procuradores sem o devido concurso publico. Notem que os sobrenomes sao quase todos de ex-deputados ( Farias, Bittencourt e outros ).

Nesse momento soh nos resta chorar e rezar para que as favelas continuam descendo la no Rio de Janeiro e vao tornando a vida dos milionarios do Leblon e Ipanema infernal. Logo as favelas vao descer aqui, em Blumenau e Joinville e atordoar tambem a vida das nossas elites como fizeram dias desses na casa do Pinho Moreira ( aquele que nao paga as contas)

Abs.


Pedro de Souza