terça-feira, 23 de janeiro de 2007

Terça

Da esquerda para a direita (sentados): Fabian Lemos (RBS), LHS, Cacau Menezes (RBS), Roberto Azevedo (RBS) e Moacir Pereira (RBS). Uau, como tem gente da RBS! E em pé: Ivana Ebel (gerente de rádio da Secom) e, quase escondido pela coluna, o Carlos Mello, assessor de imprensa do vice Pavan.
[Nunca é demais lembrar que, neste blog, ao clicar sobre uma foto abre-se uma ampliação]

O ÁLIBI
O governador convidou os colunistas e alguns jornalistas para um café da manhã na Casa D’Agronômica, que é a residência oficial dele (apesar desse nome com jeito de restaurante). Quando ele começou a explicar por que estava ali e não na reunião em que o Lula anunciou o tal PAC (Programa – pacote? – de Aceleração do Crescimento), comecei a achar que, na verdade, nós éramos o álibi do LHS.

“Não fui, primeiro, porque tinha marcado um encontro com a imprensa catarinense e não deu mais pra desmarcar”, disse ele. É lógico que, a seguir, enumerava todas as razões pelas quais mantém uma certa distância do governo federal. LHS só irá ao encontro de Lula se for expressamente chamado. Mas admite participar da reunião que os governadores terão com o presidente em fevereiro.

Na saída do café da manhã, os convidados ganharam uma garrafa do frisante meio seco da Casa Del Nonno, o Labrusco. Um agradecimento por termos atendido ao convite e ajudado a compor um álibi para o LHS.

DÁRIO MEU BEM
Luiz Henrique disse que ele e a D. Ivete jantaram, no sábado, com o prefeito Dário e a D. Rose (que também é secretária municipal, como parece ser uma tradição nas famílias que dirigem as prefeituras da Grande Florianópolis).

O governador reafirmou que vai passar para o município todas as rodovias estaduais que existem na capital. E que a história do metrô de superfície não é piada. Os japoneses (interessados em vender os trens) vão providenciar o projeto. LHS acha que vai conseguir financiar o trem urbano de Florianópolis (metrô de superfície, pra mim, é trem. Ou bonde.) usando os créditos de carbono, a moeda criada pelo protocolo de Kyoto.

Como o trem vai reduzir o volume de carros nas ruas, isso significará uma redução das emissões poluentes e, portanto, estaria habilitado a receber os tais créditos. Vamos ver se cola.

Da esquerda para a direita (em pé): Roberto Salum (TVBV) e este que vos fala (DIARINHO). Sentados, no sentido horário (a partir da reluzente calva do LHS): Adriana Baldissareli (SC Jornais), Paulo Arenhart (Notícias do Dia), Cláudio Prisco (RBS), Celso Cover (RedeTV! Sul), Vânio Bossle (TVBV) e Estela Benetti (RBS).

Da esquerda para a direita: a colunista de economia da RBS, Estela Benetti, o LHS e a atenta e perguntadeira Adriana Baldissarelli, que faz a coluna de política publicada pelos jornais filiados à ADI.

LIXO CULTURAL
Na fotinha acima dá pra ver que a prefeitura de Florianópolis já começou a preparar, com uma muretinha, o lugar, bem próximo ao Teatro Álvaro de Carvalho, onde será instalada uma área para que os catadores de papel façam a seleção do material.

Será, sem dúvida, uma instalação de vanguarda, uma verdadeira anotação crítica do prefeito, em que ele expressará a insatisfação com a produção cultural contemporânea que, afinal, só tem produzido lixo. Esse Dário é um pândego!

ALDÍRIO
Ontem foi o 3º aniversário da morte do Aldírio Simões, manezinho-mor, criador do troféu Manezinho da Ilha. O Chico Amante recolheu vários textos publicados em 2004 homenageando o Aldírio e eu os publiquei neste blog, logo abaixo . Se quiserem saber afinal quem foi esse cara ou que importância ele teve e tem para Florianópolis e seus habitantes, é só rolar a tela e dar uma espiadinha.

7 comentários:

Anônimo disse...

Essa de colocar lixo reciclável ao lado do teatro é de lascar. O que mais falta inventar para avacalhar a cidade?

Anônimo disse...

Cesar, na foto com a "reluzente calva do LHS" os nomes do Prisco e do Celso Cover estão em posições invertidas. É só um erro?
De resto, colho o azo (esta é pra ombrear com "pândego"!) pra cumprimentá-lo e dizer que este blog é show. Parabéns.

Cesar disse...

Sobre a identificação dos fotografados: como o Prisco é o cara de óculos à direita do Arenhardt e o Cover é o galego de gravata à direita do Prisco, a identificação está correta. Data vênia, salvo melhor juízo. E obrigado pelos encômios.

rafa stripes disse...

Ué, agora vc tira foto ao lado do Salum?

Cesar disse...

Pois é, Rafa: não só tiro foto ao lado do Salum, como freqüento os mesmos ambientes...

Anônimo disse...

Tive a impressão que o governador gostou mais da mesa da RBS do que da mesa democrática..
Aliás, percebestes bem, hein?
Além do Cover, da Rute, do Arenhart, do Salum, do Vânio e de Vc, os demais eram RBS... que por sinal poupou nas tintas hoje no DC.

Maurício disse...

Cesar, essa coisa de lixo ao lado do TAC é difícil de engolir. Acho que o prefeito não se lembrou dos dias de chuva. Penso que ele deveria colocar os catadores e o próprio lixo dentro do próprio teatro.