terça-feira, 8 de maio de 2007

Terça

CHEGA DE “AMBULÂNCIAS” A JATO
Uma ambulância que esteja prestando um atendimento de urgência, em alguns casos, precisa ser rápida. Mas esses veículos que as prefeituras colocam para fazer o transporte de contribuintes que fazem tratamento rotineiro na capital, não precisariam correr tanto.

Sacudir em carros desconfortáveis, tendo ao volante um maluco que acha que é Ayrton Senna, fazendo ultrapassagens arriscadas (e desnecessárias) e dirigindo como se fosse um suicida, não deve ajudar em nada a recuperação do pobre do eleitor.

Amigo prefeito, zele pelo seu povo e pelo seu próprio nome. Mande alguém espiar, em segredo, a forma como os motoristas que levam a turma doente para a capital se portam. Use o bom senso, aumente o nível de civilidade e de humanidade dos seus servidores municipais. Obrigue-os a andar em velocidade compatível com o estado dos veículos e com a condição de saúde dos pacientes. Afinal, é o nome do município que está lá, pintado na viatura.

==================================

CORRUPTÓDROMO
A prefeitura de Florianópolis anda muito quieta. Mais especificamente o prefeito. Não há nenhuma pessoa de bom senso na cidade que não saiba que a ação da Polícia Federal, em termos de corrigir os problemas municipais, é muito limitada. Age enquanto algum patrimônio federal esteja sendo ameaçado ou violado, mas existe uma área enorme onde a ação deveria ser dos poderes locais.

Ontem um empresário me contava de que modo a corrupção estava espalhada, na prefeitura, nos vários níveis hierárquicos. Para que o leitor não pense que só grandes projetos, envolvendo muito dinheiro, sofrem com os criadores de dificuldade da prefeitura.

Disse ele que o fiscal da prefeitura dá o telefone e o endereço da empresa de onde devem ser comprados os containeres de lixo, antes de liberar o alvará sanitário. A loja, naturalmente, vende bem mais caro que todas as outras que vendem os mesmos produtos. Mas se o otário do contribuinte comprar ali, o alvará sanitário sai imediatamente, assim que o cara da loja liga para o fiscal e confirma a venda.

Outra: para cortar uma árvore, mesmo que não seja nativa, se o idiota do contribuinte pedir autorização na Floram, eles pedirão que, em compensação, para dar a autorização, o tolo compre um certo número de mudas de árvores nativas. Só que não podem ser mudas adquiridas em qualquer lugar. Tem que ser mudas de um metro e meio, vendidas em um único viveiro, por dez vezes o preço de uma muda menor, vendida em outro lugar.

VENDE-SE FACILIDADE
Portanto, enquanto o prefeito (ou o ministério público estadual) não acordar para a necessidade de acabar com um disseminado sentimento de impunidade que campeia em muitos órgãos públicos, a operação da Polícia Federal terá um efeito limitado.

As demoras nas liberações, exames que levam uma eternidade, o excessivo rigor com detalhes insignificantes, tudo isso são armas dos corruptos, para forçar o contribuinte a fazer a pergunta fatal: “e será que não tem como dar um jeito nisso?”

Daí, depois de criadas todas as dificuldades, surge, todo-poderoso, o vendedor de facilidades. Que pode ser o próprio servidor público, ou um vereador, ou um amigo, ou um “desinteressado” que ia passando por ali. Há quem diga que, em Florianópolis, em muitas situações, não tem como manter-se vivo sem morrer com algum, sem “contornar” as dificuldades que, de outro modo, pela via legal, são intransponíveis ou podem levar anos para que sejam transpostas.

O próprio dono do Costão do Santinho, Fernando Marcondes de Matos, na entrevista coletiva que deu ontem, admitia, candidamente, que precisava ter um bom relacionamento com os órgãos municipais para que as coisas andassem mais rápido. E disse, com todas as letras, que ninguém pode agüentar o prejuízo de ficar com um projeto parado, esperando alguma autorização, por vários anos.

E o prefeito, ao que parece, não está preocupado em fazer uma limpeza na casa. Só quer deixar claro que não teve nada a ver com isso, que a culpa de tudo é da Ângela.

O “CLIPPING” DO JUJU
Um “clipping” é uma coleção de recortes, com notícias que saíram em jornais ou revistas, sobre determinado assunto ou personagem. Assessores de imprensa fazem “clipping” para acompanhar o que se publica sobre seus clientes e assim poderem aconselhá-lo sobre como proceder com a imprensa.

Pois o arquiteto Alfred Biermann se dedica a fazer, desde março de 2006, um “clipping” com notícias sobre o vereador Juarez Silveira. A impressionante coleção de notas e recortes (nem todas favoráveis, é claro) está disponível na internet, no endereço vereadorjuju.blogspot.com (não precisa o www e não tem br).

As primeiras notas, (acessíveis no arquivo, coluna da direita, março de 2006), recuperam o começo da história do Juarez e das mexidas no Plano Diretor, de 1998 a 2006, sempre com o amigo Içuriti a tiracolo. [Para ir direto para essas notas iniciais, clique aqui]

O problema é que, como a memória do povo é fraca e a turma é distraída, sai uma notícia hoje, outra depois de amanhã e quando sai a terceira, dali a um mês, todo mundo já esqueceu. Nos blogs do Alfred a coisa tá reunida e dá pra ler na seqüência, juntando lé com lé e cré com cré. O resultado é impressionante: “os fatos falam por si mesmo”.

O Alfred é um estudioso das maracutaias da construção civil de Florianópolis e já lançou livros falando desse problema crônico. Um deles sintomaticamente intitulado “A indústria da corrupção civil”.

CORRUPCIONÁRIO
Pois além do endereço específico do Vereador Juju, o mesmo Alfred criou, em fevereiro de 2006, dois outros blogs, onde, didaticamente, oferece uma espécie de dicionário da corrupção municipal florianopolitana, contando a história desde o seu começo. E usa a mesma metodologia: só apresenta coisas publicadas. A novidade é que tem trechos de outro dos livros do Alfred, com relatos detalhados, com fotos, de violações das posturas municipais.

Os endereços dos Corrupcionários são corrupcionario.blogspot.com e corrupcionario-2.blogspot.com. A visita é obrigatória para todos que queiram entender o que está acontecendo com a capital. Onde hotéis de luxo, como o Sofitel, têm construção autorizada sem que tenham vagas para estacionamento dos hóspedes que chegam: para isso, “privatizou-se” um pedaço da avenida Beira Mar Norte.

E tantos e tantos outros casos, relatados com a precisão de um arquiteto que conhece a legislação e as posturas. A conexão entre a informação técnica e as notas de colunas sociais e de noticiário político, contextualiza o problema de forma surpreendente.

Em 28 de agosto de 2006, no Corrupcionário 2, Alfred fez algumas daquelas perguntas que não querem calar:
a) Por que jamais foi deflagrada uma investigação acerca da corrupção evidente nas análises de projetos, expedição de alvarás de construção, fiscalização das obras e concessão de habite-se por parte da SUSP?

b) Por que jamais ocorreu uma investigação junto ao corpo técnico do IPUF, responsável pela elaboração das leis que definem a ocupação do solo no município de Florianópolis, visto que os técnicos do Instituto necessariamente tem conhecimento dos atos praticados pela SUSP?

c) Por que os membros do Ministério Público, das três instâncias, jamais instauraram uma investigação acerca da corrupção em relação à aplicação do Código de Obras e Plano Diretor, visto que ela tem sido freqüentemente abordada pela imprensa e mídia eletrônica?

d) Quem são as pessoas, empresas ou autoridades que protegem técnicos envolvidos em atos de corrupção repetidamente denunciados ?

e) Como pode a população de Florianópolis esperar melhorias de qualquer natureza em relação ao uso do solo do município quando, ano após ano, os funcionários responsáveis pelos delitos urbanísticos permanecem irremovíveis em seus cargos?

9 comentários:

Carlos Damião disse...

Uau. Ainda bem que aqui no Cesar Valente a gente sempre fica sabendo de tudo. Abraço. Damião.

Anônimo disse...

César, o Bierman não é esse santo como vc coloca. É dele o projeto que destrói o bairro de coqueiros. Tentou-se erguer ali um "pequeno" empreendimento com "apenas 80 mil m2" a beira mar, sem EIA-RIMA, Imapacto de vizinhança, etc.. Nasceu da reação da comunidade contra a obra, a revolta dele (arquiteto).Tipo: faz o que eu digo, não faz o que eu faço. Mais detalhes daquele projeto, que tem gente do IPUF envolvida em breve

Anônimo disse...

Caro jornalista, existe coisa mais burocrática do que liberar no IPUF uma obra no "entorno" de imovel tombado? É muita dificuldade, quando se consegue. Merece investigação, até pq uma grande rede de comunicação de SC qdo fez um evento ano passado num imóvel tombado, a licença do IPUF saiu a jato, quando se sabe que um simples mortal jamais conseguiria tal licença. O rigor só serve p/ alguns, ou p/ quem está disposto a corromper?

Anônimo disse...

Quando aparecerão os outros nomes como João da Bega, Márcio de Souza, Ptolomeu Bitencourt, etc... todos que recebiam mensalinho do Juju para aprovação de projetos na Câmara???

Anônimo disse...

Cesar,

Bom dia! Eu ja havia dito aqui nesse espaco que o Vereador Juarez e a Camara Minicipal estavam sendo investigado pela PF. Eh soh pesquisar os comments passados. Alias disse por diversas vezes.

O arquiteto tem bronca do Vereador pq ele atrapalhou o negocio do Vilson Medeiros com um Grupo financiado pela Previ para a compra e construcao de um mega empreendimento onde era o Ataliba. Dizem que os intermediarios do negocio, entre eles em famoso jornalista aqui da cidade, sao os responsaveis da famososa CARTA que circulou as vespera da eleicao onde contava o que o Vereador - cujo o apelido eh MARIA, falava na intimidade das pessoas entre elas ate seus amigos mais intimos como o Amauri Junior e o Guilerme Grillo.
Talvez dai tenha saido o bom blog.

Pedro de Souza.

Anônimo disse...

Cesar,

O que me espanta eh o Juarez ser processado pela Receita Federal por ter movimentacao bancario incompativel com sua renda (e ai qquer pessoa sabe que o dinheiro soh pode ter vindo de heranca, trafico de drogas ou corrupacao) ter sido nomeado pelo LHS como Diretor da Codesc e pelo Dario como lider do Governo na Camara Municipal.

Soh me resta pensar que algo de muito podre ha nessas nomeacoes.

Pedro de Souza

Anônimo disse...

Pedro de Souza:
Parodiando Shakespeare, tem algo de podre, muito podre, no reino da nossa pequena ilha.

Cesar disse...

Um pequeno reparo, anônimo: não falei em nenhum momento, que o Alfred é santo. Não o conheço, nem a seus motivos, para poder classificá-lo. E também imagino que a preocupação obsessiva dele deve ter lá suas razões. Ninguém faz uma coleção de recortes e documentaos daquela como passatempo, como hobby. O fato é que o resultado, que está à disposição do público, é muito interessante.

Anônimo disse...

Como esperar algo de positivo, após este máfia ter sido desmascarada?
Quando vejo o vereador Juarez preso na PF como um venal assintoso; quando leio que foi indicado para funcionário da CODESC (que controla as atividades de jogos de azar - bingos) no estado; quando vejo o governador LHS defender com veemência os bingos e quando assisto a este mesmo governador e ao presidente da CODESC Içuriti chegarem de helicóptero para festejar a passagem de ano na ilha do bingo (ex Ilha do Stemer na Tapera), com direito a show pirotécnico, champã e noitada, tudo pago pelos bingueiros.... Desconfio que o buraco é muito mais embaixo e que se a PF fizesse uma investigação na CODESC e nas doações para campanhas, facilmente atingiria ocupantes (atuais e pregressos) do Palácio da Agronômica.