sexta-feira, 4 de maio de 2007

Sexta

MOEDA INDIGESTA
Boa parte da face “primeiro mundista” da capital foi ontem visitar a carceragem da Polícia Federal. Foram acompanhados de boa parte da administração Dário Berger. Ciceroneados pelo ex-líder do governo municipal da Câmara e pelo ex-presidente da Câmara, empresários e servidores públicos puderam comprovar que as instalações do novo prédio são mesmo de primeira qualidade.

(Comentário da noite: quer dizer... não foi bem assim, porque o ex-líder baixou hospital e o ex-presidente estava no Prata, mas em todo caso vocês entenderam o cenário, né?).

Ainda é cedo para atirar pedras ou para dizer “bem feito”. Primeiro, porque a investigação, embora tenha começado há nove meses, agora é que entra na sua fase decisiva. E não se pode dizer, aqui de fora, se a culpa de todos é igual nem se todos têm, de fato, culpa no cartório.

O que parece evidente, contudo, é que o Ministério Público e a Polícia Federal, acreditam naquela história de “onde há fumaça, há fogo”. As histórias que circulavam em voz alta pelos ambientes sociais, restaurantes, bares e esquinas, precisavam, de fato, ser investigadas.

A CASA DA MÃE JOANA
A Ilha de Santa Catarina, em alguns aspectos, parece (parecia?) a Casa da Mãe Joana. Lugar onde, dependendo da amizade com este ou aquele, tudo pode (podia?). Juntava-se a tradicional rotina da corrupção, de criar dificuldade para vender facilidade, com as oportunas lacunas na legislação, com o enorme fascínio que a Ilha desperta nos visitantes.

O resultado era um esquema onde quem tinha como pagar, conseguia até que o Plano Diretor fosse modificado. E quem não tinha como pagar ou não queria sujar as mãos, acabava indeferido. E sem ter a quem recorrer.

UM MAIS UM
Ontem mesmo um passarinho (que não era o Edson Piriquito) me falou que aquele esquema de carros da Assembléia tinha relação com a lama que agora começa a ser levantada. Pode ser só coincidência o envolvimento de dois grandes revendedores de veículos. Mas é inevitável que a turma comece a somar um mais um.

A POLÍCIA DO ATRASO
Quem tinha acreditado que os grandes empreendedores eram todos vítimas de um grande complô ambientalista para manter a Ilha na escuridão medieval, deve ter ficado confuso com a ação da Polícia Federal.

O governador LHS chegou a expor publicamente seu ponto de vista, claramente em defesa de um relaxamento das exigências ambientais. Imagino que ele não soubesse que seus amigos, ao mesmo tempo em que se queixavam dos entraves, estavam negociando, por baixo dos panos, alguns destravamentos.

Falar mal do shopping sobre o mangue, reclamar das mudanças oportunistas no Plano Diretor, era coisa de gente atrasada. De quem não queria o progresso. E agora, como é que fica? A polícia que investiga os negócios dessa gente tão avançada e que coloca tanto figurão na cadeia é a polícia do atraso? Será que só há progresso à margem da lei?

===============================

ESSE ORESTE...
O Oreste Mello é qualificado, elogiosamente, pela TV São José, onde apresenta o programa “Tô de Olho em Ti”, como “o manezinho mais doido de Florianópolis”. É presidente da Associação dos Comerciantes do Mercado Público de Florianópolis mesmo sem ser um comerciante do mercado. Mas isto não parece incomodar os comerciantes de lá, que o mantém há anos na função. Funcionário da Câmara de Vereadores, foi diretor da TV da Câmara e é figura conhecida da Ilha, um daqueles personagens que estão em todas.

Pois desde o mês passado o Oreste está às voltas com uma situação complicada: uma servidora da Câmara registrou um boletim de ocorrência (104/2007-04922 no dia 19 de abril) na 1ª DP da capital, acusando-o de assédio. Ele, naturalmente, nega. Mas a polícia está investigando.

IRRESPONSABILIDADE

Os inimigos do Oreste trataram de aproveitar a oportunidade e estão distribuindo, por e-mail, cópias do BO. E aí, pensando atingir o Oreste, cuja culpa ainda não foi determinada (pode ter sido apenas uma acusação falsa), acabam cometendo outra injustiça: expõem o nome da suposta vítima. Esta falta de sensibilidade é muito grave.

Em geral, as vítimas de assédio custam muito a reunir coragem para se expor e registrar o fato. Ao ver o nome da moça circulando dessa forma, muita gente ficará ainda mais temerosa, porque pode acontecer-lhe a mesma coisa. E outros casos que, eventualmente, poderiam ser denunciados, ficarão impunes por causa de alguém que agiu sem pensar nas conseqüências.

PRESERVAÇÃO
Com um guarda-chuva aberto para evitar trovoadas vindas de Brasília, proprietários rurais lageanos de São Jorge da Coxilha Rica reuniram-se para criar a que poderá ser a primeira Área de Preservação Ambiental(APA) criada pela iniciativa privada em Santa Catarina.

Uma audiência pública será realizada hoje, ao meio-dia, para dar publicidade e iniciar o processo de homologação da APA. São mais de 113 mil hectares, o que equivale a quase um terço do município.

Ali, onde há muitos caminhos de tropeiros com muros de taipas preservados, nascentes de águas límpidas e a tradicional paisagem serrana, a proposta é priorizar o ecoturismo, com brechas para exploração de pequenas centrais hidrelétricas(PCHs) e a pecuária, que é a atividade tradicional, inclusive com melhoria de pastagens.

O deputado Elizeu Mattos deflagrou o processo enquanto era secretário regional de desenvolvimento. Além dos proprietários, autoridades municipais e até o procurador da República em Lages, Nazareno Jorgealen Wolff se envolveram com o projeto. Vários deputados estaduais estarão presentes à audiência, levados até o local por uma frota de veículos 4x4 requisitada na região, para garantir o percurso em trilhas de chão batido e muito cascalho.

Parece que o pessoal começa a entender que preservar é garantir características que tornam um lugar original, especial, diferente. E tudo isso é fundamental para atrair turistas e assegurar qualidade de vida.

9 comentários:

Ilton disse...

Não te parece, Cesar, que a Administração Pública brasileira, é movida a corrupção? Por quê? Não te parece, também, que o excesso de dispositivos de leis e exigências, para certas atividades, são entraves desnecessários que provocam, exatamente, a necessidade de pagar para ter algum projeto aprovado? O excesso de regras sempre foi um bom criadouro de subornos e do jeitinho. Um abraço

Anônimo disse...

Alguem sabe informar como está o clima lá pras bandas da câmara de vereadores?

Anônimo disse...

que decepção! Enquanto esperavamos que o prefeito Dario Berger se mostrasse escandalizado com o que foi descobero pela Operação Moeda Verde, o maximo que ele diz e que 'não chega nem perto de mim". Aguardemos o que vem pela frente...

Anônimo disse...

Cesar.
Tenho uma dúvida.
Entre o mal estar que o vereador Juarez teve, quando foi flagrado no descaminho, com a caminhonete cheia de uisque ilegal e o mal estar que teve agora, na prisão da operação moeda verde, quantas vezes será que ele foi ao cardiologista?
Será que ele é doentinho assim?

Anônimo disse...

Com essa mídia nem se encontrassem um pote de ouro na casa do Marcondes de Mattos

Lead da matéria do DC:

A Polícia Federal prendeu ontem, temporariamente, 19 pessoas suspeitas de participarem de um esquema de compra e venda de licenças para construção em áreas de preservação ambiental em Florianópolis. Na decisão que determinou as prisões temporárias de cinco dias, o juiz Zenildo Bodnar, da Vara da Fazenda Ambiental de Florianópolis, escreveu que "as prisões não implicam juízo de valor sobre a culpa ou inocência, a serem devidamente apuradas no curso regular do processo, com respeito ao direito à ampla defesa". No começo da noite, três citados foram liberados.

Porque algo tão pro forma da Justiça e que na nota da PF estava no pé sob tanto na avaliação desse jornal cretino.

Nenhuma informação além do divulgado?

A matéria do jornal da Globo ontem da Kiria teve, pelo menos, a decência de ouvir um perito ambiental que confirmou os desvios nos laudos.

Quem eles pensam que vão enganar com essas aspas. O povão que não sabe que os caras são só acusados por enquanto? Porque esconderam as gravações num box da matéria? Gente nojenta essa!

Anônimo disse...

Caro Cesar,

Se pegares os comments passados vais ver que sistematicamente fiz mencao a riqueza do Vereador Juarez Silveira era incompativel com suas rendas e por isso era processado pela Receita Federal com uma multa perto de 200 mil reaias.

Por diversas vezes falei aqui nesse espaco a incoformidade das pessoas de bem com o Governador Luiz Henrique em manter o Juarez Diretor da Codesc mesmo sendo preso em flagrante por contrabando. Ate parecia que o Governo, tal qual a Prefeitura, era refem do ardiloso Edil.

A Policia Federal fez o trabalho que od Governos Estadual e Municipal nao fiZeram.

A populacao agradece. Como agradece.

Pedro de Souza.

Anônimo disse...

Cesar,

Soube agora que o Vereador passou mal pq a delegada mandou ele passar a noite na cela do Fernandinho Beira Mar, sob o argumento que preso com alta periculosidade fica naquela cela. Vereador inconformado reagiu dizendo que queria ir para a cela que "ele havia ficado das outras vezes". rsrsrsrsr

Jackson disse...

Mudando um pouco o assunto da "turma" que está escandalizada (eu tbm) com os famosos de floripa, mas quero parabenizar o César, pela matéria sobre a Coxilha Rica e quando tiveres oportunidade, leve sua sempre companheira fotográfica e registre um dos lugares mais bonitos do mundo (para quem conheçe sabe que é verdade). Abraços sempre!

pen drive de sousa disse...

Um pedido para o Meretíssimo, sobre o Vereador Juarez Silveira:
_ Deixa o homem trabalhar!!!