sexta-feira, 16 de fevereiro de 2007

Sexta

A senadora Ideli Salvatti (PT) falou ontem, dia 15, em Florianópolis, sobre o que a Petrobras reserva para SC no seu “Plano Estratégico 2015”. Principalmente quanto ao fornecimento confiável de gás para as indústrias. A turma do PMDB entendeu tudo como um gesto simpático de aproximação.

ISTO É QUE É NOTÍCIA
O consumo de chope em Santa Catarina cresceu 55% nos últimos dois anos, informa o Carlos Tonet, no seu saite Noticenter. Embora grandes fabricantes, como a Brahma, se beneficiem, porque têm maior estrutura de distribuição e produção, na verdade também são grandes responsáveis por esse saudável crescimento as micro-cervejarias (Zehn Bier, Eisenbahn e tantas outras).

Essas cervejarias despertaram o interesse de muita gente para um produto que pode ter sabores, cores e texturas diferentes. A disponibilidade do chopp em locais onde antes só serviam cerveja e mesmo a abertura de choperias, também ajudaram a matar a sede da turma.

O que é fundamental, nessa história toda, é não deixar a Brahma, que já tem praticamente 70% do mercado do chope no Brasil, sufocar as pequenas cervejarias, em busca do monopólio.

RETARDO MENTAL
Não existe nenhuma demonstração mais clara de imbecilidade do que os “trotes” violentos que são impostos a quem entra num curso superior. Qualquer que seja a justificativa, acaba demonstrando a indigência mental de quem o pratica. Normalmente é feito porque os “veteranos” querem se vingar de terem sofrido abusos quando entraram na faculdade. Tipo olho por olho, dente por dente, mas com pessoas diferentes, que nada tiveram com os maus-tratos originais.

Mesmo em universidades onde os trotes são oficialmente proibidos (como a UFSC), os “veteranos” levam a calourada para fora do campus e dão vazão a seus maus instintos e desvios de personalidade. Muitos desses “veteranos” seriam prato cheio para estudos sérios sobre a violência e o desprezo pelos direitos humanos.

E muitos deles, depois de formados (ou até antes), trocam os calouros por esposas e filhos, a quem torturam e infernizam como se isso fosse normal.

Polícia tem que ser bem remunerada, bem treinada e bem equipada. Até porque a gente precisa poder exigir deles profissionalismo e um serviço de qualidade.

Internet pessoal (2)
Na semana passada mostrei aqui alguns endereços de internet de uma lista que visito regularmente. A lista é extensa. Por vários motivos, profissionais, pessoais e afetivos, costumos navegar todos os dias por algumas dezenas de site. E espero que, ao compartilhar alguns endereços que me parecem interessantes, possa ajudar os leitores que eventualmente ainda não conheçam estes locais, a também ir fazendo a sua lista.

Hoje vou comentar alguns endereços que têm material que pode ser útil tanto para quem ainda está estudando e precisa ampliar suas fontes de consulta, quanto para quem apenas tem curiosidade ou interesse pelo mundo maravilhoso da comunicação.


O Alexandre Gonçalves compartilha, no Coluna Extra, observações e informações sobre marketing, cinema, música, futebol e uso da internet. O mix, embora pareça meio estranho citado assim, tem funcionado muito bem, criando um ambiente de visita obrigatória, até para saber qual o tema do dia.

Além dos posts (que é como se chamam os textos dos blogs), tem uma listinha de endereços de blogs, na sua maioria, ou em boa parte, de jornalistas catarinenses.


Este é um site feito por um veterano jornalista, Walter Sotomayor, que reside em Brasília. Trata, como o nome diz, especificamente de meios de comunicação. Tanto do mercado quanto de práticas e tendências.

Mescla o noticiário nacional com um apanhado do que mais importante acontece internacionalmente nesta área. Como em tantos blogs bem organizados tem uma catalogação dos posts por assunto, o que facilita na hora de procurar nos arquivos.

Dirigido pelo Alberto Dines, o Observatório tem, todas as semanas (é atualizado terça-feira à tarde) dezenas de novos artigos sobre imprensa e meios de comunicação.

A página de abertura mostra os destaques, mas gosto de clicar no link “Todos os artigos da edição” para poder navegar na página onde estão os titulos, separados por seções. Não dá para ler tudo de uma só vez.

Recomendação especial, dentre os diversos bons lugares do Observatório: a coluna “Circo da Notícia”, do Carlos Brickmann. Notas curtas muito bem humoradas, bem informadas e sobretudo críticas na medida certa.


Inspirado no Observatório, o Monitor de Mídia, da Univali, faz a análise crítica da imprensa catarinense. É produzido por um grupo de professores e alunos do curso de Jornalismo dessa universidade, com apoio financeiro do CNPq.

A importância está, naturalmente, em acompanhar as questões locais, que nem sempre ganham destaque em sites nacionais. Embora eu tenha a impressão (espero que seja só impressão) que a turma do Monitor “esqueça” que na região da sede da Univali o principal jornal, em todos os sentidos, é o DIARINHO, vale dar uma navegada nos arquivos e no material recente.

Um comentário:

Alexandre Gonçalves disse...

Cesar,
Grato pelas palavras e pelo link. Já vi no contador de acesso que muitos dos seus leitores já fizeram uma visita ao Coluna Extra, o que muito me honra.
Abs.