quarta-feira, 18 de abril de 2007

Quarta

VANDALISMO SUPERIOR
A gente fala mal da Brasil Telecom, mas nesta história dos telefones públicos arrebentados por idiotas no campus da UFSC, ela tem agido direito. A empresa me escreveu para informar que aquele telefone público, que aparece depredado na foto do Paulo Dutra, publicada aqui no final de semana, já foi consertado e reativado.

Mas o pior, que só mostra o nível de debilidade mental de alguns “universitários” e a falta de eficiência da “segurança” da universidade, é que, segundo a Brasil Telecom, “neste mesmo período, outros quatro telefones públicos instalados no Campus da UFSC foram atacados por vândalos e tiveram seus monofones arrancados. Ainda na mesma semana, na praça da Trindade, próxima à UFSC, outros dois equipamentos também foram seriamente danificados”.

Ou seja, em poucos dias sete telefones, numa área de grande circulação de pessoas “de bem” foram destruídos. Naturalmente, alguém aparecerá para colocar a culpa na gurizada pobre dos morros próximos. Mas eu acho que alguns dos imbecis que fazem os trotes que fazem nos calouros são bem capazes de sair por aí destruindo orelhões.

BONS VIZINHOS
Comercial que está sendo veiculado na capital anuncia para o dia 28, no “centro multiuso” da prefeitura de São José, um show com o cantor Fábio Júnior, promovido pela prefeitura de... Florianópolis. E a gente que achava que os dois prefeitos estavam de mal, hem?

COMEÇOU A CAMPANHA
Leitor, pertencente ao MSCD (MOvimento dos Sem Câmera Digital), mandou umas mil palavras para descrever o lindo out-door que foi plantado na área industrial de Palhoça, com as fotografias do Pitanta e do Cesinha Souza. Vou esperar que um leitor do MTFT (Movimento dos que Tiram Foto de Tudo) passe por lá e mande o retratinho que, como vocês sabem, vale mais que mil palavras, para só então perguntar à Justiça Eleitoral se isso pode ou não pode.

ATORANDO PREGO
A operação furacão (também conhecida como “hurricane”) deve estar deixando muita gente sem dormir em Santa Catarina. Afinal, um estado cuja administração se dedicou, com tanto empenho, para a liberação dos caça-níqueis e da jogatina em geral, não pode deixar de ficar apreensivo com a prisão de desembargadores, promotores e delegados responsáveis pela disseminação de caça-níqueis.

Não que uma coisa tenha obrigatoriamente a ver com a outra, mas se tiver um único ponto de contato, vai ser o diabo explicar que uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa.


DILEMA VITAL
Um shopping, nas cidades modernas, é como uma praça, um parque, É um equipamento urbano cuja importância não pode ser ignorada. O que abriu ontem em Florianópolis (nas fotos acima) é amplo, bem construído, do melhor nível.

Os manguezais são ecossistemas importantíssimos, nascedouros de várias espécies, criadouros de outras tantas. Desprezados por ignorantes, que vêem a lama e o lodo como sinônimos de sujeira e não de vida, os mangues são fundamentais para que tenhamos uma fauna e uma flora saudáveis, nesta ilha dos casos e ocasos raros.

O grande desafio moderno é manter os manguezais e ter shoppings. Preservar áreas vitais e ter marinas. Por que as duas coisas não podem coexistir?

Empreendimentos como o Iguatemi, o Beira Mar e o Floripa Shopping são, sem dúvida, geradores de emprego, dinamizadores da economia. Mas não deveriam, por causa de sua importância relativa, serem colocados acima de outros valores urbanos e naturais.

É sintomático que os dois shoppings tivessem que fazer acordos com o Ministério Público, para compensar supostos prejuízos que suas localizações causaram ao ambiente. E é igualmente sintomático que as autoridades públicas refiram-se à legislação ambiental e aos cuidados ali previstos, como “entraves” que “atravancam” o “progresso”.

Mas os empresários modernos sabem que desacatar a natureza, principalmente numa ilha como a nossa, é ajudar a matar a galinha dos ovos de ouro. E muitos deles têm essa consciência mais clara do que alguns de nossos governantes, para quem o ideal seria poder consumir, em poucos meses, o que a natureza levou milhares de anos para, caprichosamente, criar.

Pra mim, shopping é tudo muito parecido, mas Chávez, Lula e Bachelet, ali em cima, ficaram muito impressionados.

7 comentários:

Carlos Andrade disse...

Acho que os imbecis que fazem trote nos calouros e destroem os telefones públicos devem ser do seu tempo. Hoje, pelo menos no CTC, onde respiro diariamente, o trote não passa de uma festa de confraterenização, em que os calouros são "forçados" a realizarem muitas ações que a maioria dos cidadões de bem nem sonha em fazer. Eles doam sangue, coletam alimento e roupas que serão doados posteriormente, visitam entidades de cunho social. É o trote solidário. O método utilizado para que "forçadamente" os calouros realizem essas atividades é uma simples e competitiva gincana. Isso no CTC, que jah foi um pouco cruel, imagino que do outro lado do rio tbm esteja acontecendo algo assim ou ateh melhor. Na UFSC já fui roubado por um menino descalço com um revolver, já fui atacado e levei mto chute e soco por uma gangue de muleques que não tinham mais de 14 anos. A UFSC precisa de segurança sim, mas não para prender quem vai pra lah estudar, e sim, pra quem vai, de fora se esconder em um ambiente onde a lei não impera.

Floripatrip disse...

Opa Cesar somos o floripa trip

Gostariamos de lhe pedir permissão para colocar um link de seu blog (parabens pelo trabalho) em nosso website. O floripatrip é site voltado para o turismo, e estamos criando uma area no site chamado floripablogs. Caso voce permita, será um prazer ter um link de seu blog lá conosco.

Um grande abraço.
www.floripatrip.com.br

Cesar disse...

Carlos: há poucas semanas vi jovens pintados e rasgados pedindo dinheiro nos cruzamentos. Calouros obrigados, pelos "veteranos", a esmolar para eles (que depois usavam o dinheiro para encher a cara). Nem tudo é o mar de rosas que você vê no CTC. E sobre a molecada que se aproveita da falta de segurança do campus para fazer a féria, é verdade, quando a casa está abandonada, jogada às traças, todo mundo se acha no direito de ir lá tirar uma casquinha. Já tive carro roubado dentro do campus, amigos já foram assaltados a mão armada, mas mesmo assim não me arrisco a fazer uma defesa corporativa muito ampla da turma que "vai pra lá estudar". Tem muito filhinho de papai sem nada na cabeça que acha que aquilo ali é o quintal da casa da mãe Joana.

Anônimo disse...

Cesar,

Vida de politica esta cada dia mais dura.

Ontem num bar da cidade frequentado por alguns politicos, numa mesa ao lado um de seus membros fez a seguinte piada quando uma moca estava indo ao banheiro: "leva a bolsa que eh mais seguro".

Pedro de Souza

Carlos Andrade disse...

Tah certo, tá certo. Tbm não ponho a mão no fogo pelos estudantes. Mas achei que fosse um pouco estremista demais e acabei sendo também pelo outro lado. Abraços. Leio todos os dias a tua coluna

Anônimo disse...

César,estranho SC não ter ninguem preso na operação hurricane, já que aqui foi e continua cada vez mais sendo no Brasil, o labaratório das leis e decretos que liberam os caça níqueis. Será que a nossa PF e o nosso MP não são tão eficientes quanto os do resto do País? Não creio, mas que é perturbador, isso é! Porque tanto empenho do Governo estadual em liberar essas pragas chamadas caça níqueis?

Balzaquiana Histérica disse...

Não,, nem todo shopping é parecido,,, nem todos são em cima de mangue! Existem outros tipos de APP's para se construir um shopping em cima! E Também existem outros lugares maravilhosos para se despejar o cocô do shopping, após um breve Tour por uma ilha desconhecida!
Aliás,,, falando em Iguatemi,,,, domingo passei por lá,,,, quero dar os parabéns para a pessoa que projetou a calçada do lado direito do shopping, uma inlinação péssima, estreita e de repente ela termina e vem um gramado,,, um gênio da acessibilidade passou por lá!

Boa sorte para todos....