terça-feira, 19 de dezembro de 2006

TERÇA

Este vereador de Florianópolis, Gean Loureiro (PSDB), é um cartazista militante. Qualquer que seja o pretexto, ele espalha sua faccia pela cidade. Decerto deve ter bons amigos no Tribunal Regional Eleitoral, porque essas coisas são a mais deslavada propaganda fora de época, um verdadeiro deboche, mas ele nem tchuns e eles nem tchans. E, como o papel aceita tudo e as palavras vão aos poucos perdendo sua força e significado, ali está a “ética”. No lugar poderia estar “balinha de côco” ou mesmo “algodão doce”. O efeito seria o mesmo.
================================

O ESTADO REFÉM
O Tribunal de Contas do Estado descobriu que Joinville está refém de uma empresa privada. Na decisão nº 2565/2006 de 11/12, o TCE recomendou à Companhia Águas de Joinville que adote providências para a
“quebra do monopólio da empresa Raiz Soluções e Informática Ltda. A empresa foi contratada no ano passado por dispensa de licitação para montar e gerir o cadastro comercial dos usuários do sistema de água e esgoto da cidade. O valor da dispensa foi de R$ 2.610.756,00, para um contrato de seis meses — o um custo mensal médio de R$ 435.126,00”.
O que a Companhia de Água diz, em sua defesa, é estarrecedor:
“a empresa detém o software com a massa de dados de todos os usuários do sistema de água e esgoto do município de Joinville”.
Tão assustado quanto qualquer um de nós, o TCE alertou para
“uma inversão da supremacia do interesse público: uma empresa privada detém as informações que são pertinentes ao serviço público, ou seja, o Estado fica vinculado a uma empresa particular para utilizar suas próprias informações”.
A argumentação da Companhia de Águas para justificar o contrato milionário e a absurda dependência poderia entrar em qualquer conto de realismo mágico passado em alguma república bananeira. Inacreditável.

AULINHAS
Os deputados que foram eleitos têm hoje à tarde, na Assembléia, aulinhas de parlamento estadual. Vão aprender como funciona a Casa, os pontos principais do regimento interno e como deverão se conduzir. Claro que as aulinhas são mais úteis e interessantes para os que foram eleitos pela primeira vez.

Mas é uma pena que a Assembléia não reúna todos os deputados, eleitos e reeleitos para dar-lhes aulinhas de boas maneiras políticas e de respeito ao eleitor. Porque vários deles, senão a maioria, já esqueceu completamente o que prometeu aos seus eleitores. E sequer imagina o que deles espera quem lhes deu o mandato.

A grande preocupação (ressalvadas as exceções de praxe) é mesmo quantos assessores poderão ser contratados, o espaço físico do gabinete, as verbas, o automóvel, as cotas de gasolina e quantas vaguinhas poderá dispor no grande loteamento Aliança, da imobiliária LHS.

DE TERÇA A SÁBADO
Esqueci de avisar na sexta, distraído que sou: agora esta coluna aparece nas edições de terça a sábado. Não tem mais na edição de segunda. O espaço continuará a ser ocupado, como vinha sendo durante as férias da coluna, por matérias especiais produzidas pela equipe de repórteres do DIARINHO.

Num mundo jornalístico onde cada vez mais o espaço da reportagem encurta e surgem cada vez mais colunas de opinião de discutível utilidade, não deixa de ser uma boa e saudável novidade esta decisão. Ganha o leitor, que continuará tendo, às segundas-feiras, uma bela página especial de informação local. E eu ganho uma folguinha no final de semana, o que é ótimo.

NINGUÉM LIGA...
O deputado Vieirão (PP), no seu blogue (vieirao.com.br), faz uma ligação direta entre o ex (e futuro) secretário da Segurança, deputado Benedet e as prisões de funcionários públicos envolvidos na falsificação de carteiras de motorista no Sul.

Afirma que eram cabos eleitorais de Benedet. Caso se confirme e caso estivessemos em um país sério, a acusação seria da maior gravidade. Liga ao banditismo um político destacado, que chefiou e estava indicado para voltar a chefiar a polícia e a política de segurança.

Mas que bobagem, a minha. Ninguém liga pra essas coisas. Caso as informações e afirmações do deputado oposicionista sejam falsas, nada acontecerá. Caso sejam verdadeiras, igualmente, nada acontecerá.

Ninguém gosta de mexer nessas coisas de cabos eleitorais e apoios. A gente, aqui de fora, fica com a impressão que todo mundo tem o rabo preso. O candidato faz vistas grossas, durante o período eleitoral, e depois, quando estouram os escândalos, o jeito é fazer cara de paisagem e esperar que ninguém ligue, como de fato ninguém liga.

PDT MAL DE CONTAS
Os erros (erros? hum...) grosseiros que levaram o TRE-SC a rejeitar as contas do PDT mostram que eles precisam ir urgentemente para a escola. Falta-lhes o que eles queriam recomendar para o povão.

POUCA VERGONHA
Reproduzo trechos do editorial do site Congresso em Foco (e, naturalmente, assino embaixo):
“Protestos ou palavras fortes são muito pouco para reagir à decisão, adotada quinta-feira, de elevar em quase 91% os vencimentos dos deputados e senadores, fixando-os em R$ 24,5 mil mensais.

(...) o mais poderoso dos argumentos contra o aumento é que a população, por todos os meios que tem à disposição, dá demonstrações inegáveis de que não o aceita.

(...) É triste ver não apenas a revolta, mas como ela vai se transformando em descrença ou, pior ainda, em desqualificação do Poder Legislativo como um todo. Alguns chegam a defender o fechamento do Congresso, no qual não reconhecem nenhum ato em favor da população.

O quadro soa ainda mais melancólico quando lembramos que o ousado gesto dos caciques do Congresso tem como pano de fundo a disputa da presidência da Câmara e do Senado. Empenhados em agradar à massa de parlamentares anônimos conhecida como baixo clero, pré-candidatos aos dois cargos aprovam o aumento salarial.

É uma estratégia suicida porque deixa fora do cálculo os eleitores, que rejeitam vigorosamente o aumento.”
Só pra lembrar e encerrar: na outra vez, o Severino se elegeu prometendo aumento. Agora deram-se o aumento antes da eleição.

Um comentário:

Cris Carriconde disse...

mas nao é um fofo esse Gean Loureiro :)

Aproveito para desejar Boas Festas para você e sua família.

Beijo

ps: Leva a Lucia no Bazar da Liliane em Santo Antônio. Está o máximo!