quarta-feira, 27 de dezembro de 2006

QUARTA

LULA E A CADUQUICE POLÍTICA
O presidente Lula tem falado sobre as mudanças que a idade traz. Com 60 anos, o fundador do Partido dos Trabalhadores tem dito bobagens como esta:
“Se você conhecer uma pessoa muito idosa esquerdista, é porque ela tem problemas. Se você conhecer uma pessoa muito nova de direita, é porque também tem problemas. Então, quando a gente está com 60 anos (...) é a idade do ponto de equilíbrio (...) a gente se transforma no caminho do meio”.
O deputado Afrânio Boppré (P-SOL) afirma que “não é a natureza que define a ideologia de uma pessoa, mas sim o meio social, a política, o conhecimento”. Boppré acha que Lula atribuiu sua mudança ideológica ao amadurecimento “para justificar a traição à sua trajetória”. É, também, uma tentativa de “desqualificar posições ideológicas, tanto de jovens quanto de pessoas mais idosas”.

A Folha de S. Paulo ouviu alguns esquerdistas sobre essa pérola presidencial, de que a ideologia vai mudando conforme a idade. Transcrevo abaixo parte do material da Folha:
A socióloga Maria Victoria Benevides, 64, ex-integrante da Comissão de Ética Pública do Palácio do Planalto, respondeu, em tom de brincadeira, que ao ler as declarações de Lula pensou que tinha de ir ao médico. Em seguida, a petista criticou o presidente, mas afirmou que não fazia nenhuma “condenação moral” a Lula.

“Acho que foi uma indelicadeza com militantes que continuaram de esquerda depois dos 60 anos, como o Apolônio de Carvalho, o Florestan Fernandes. Que eu saiba, nenhum deles se declarou de centro.”

Plínio de Arruda Sampaio, também ex-integrante do PT e hoje no PSOL, disse: “Há muito tempo Lula não tem mais posição de esquerda, o que é novo é a discussão médica. Não sabia que ele entendia disso, mas às vezes, na andropausa, o cara descobre vocações novas”.

O advogado Hélio Bicudo, que também se desligou do PT, afirma que ficou mais de esquerda com o tempo. “Estou com 84 anos e sou mais de esquerda hoje do que quando tinha 60 anos.”

O sociólogo Francisco de Oliveira, ex-integrante do PT e hoje no PSOL, afirmou: “Tenho 73 anos e continuo de esquerda, com muito orgulho. Tenho pena dos que se afastaram dela, embora respeite as razões de alguns e leve outros na brincadeira. Essa do Lula não é brincadeira, é lamentável”.

IMPLICÂNCIAS
A principal função dos jornais e dos jornalistas, em relação aos governos, é ser implicante. Os governantes não devem achar que a gente é bonzinho ou amiguinho. A gente (e acho que falo em nome dos colegas das outras áreas do jornal) não se incomoda de ser considerado chato e murrinha. Aí estão algumas notinhas implicantes. Pra animar o feriadão dos funcionários públicos e aquecer os motores para encher o saco dos novos governantes.

CÉU PARANAENSE
No começo do mês o governo do estado doou um terreno de 15 mil m2, em São Joaquim, para uma faculdade particular paranaense instalar um observatório astronômico.

E alguns empresários da região também vão entrar na “parceria” pra facilitar as coisas para os paranaenses, provavelmente construindo o prédio do observatório. O telescópio será adquirido com grana do Ministério da Ciência e Tecnologia.

Aí eu me pergunto: não teria em Santa Catarina nenhuma instituição capaz de gerenciar um observatório astronômico? Nem na UFSC nem na Udesc? Nenhuma das particulares? Não seria uma oportunidade para criar um núcleo catarinense nessa área? E por que beneficiar justa e precisamente aquela escola paranaense (UNIBEM, Faculdades Integradas Espírita Bezerra de Menezes)?

FUNDOS SEM FUNDOS
O governo estadual sacou dinheiro de alguns fundos específicos, para repor mais adiante. Com a falta geral de grana, não teve como repor e, ao contrário, continua precisando de mais. Saco sem fundo, o governo consome um volume crescente de recursos e não conseguiu conter a sangria. E nada indica que conseguirá.

BENEDET PALPITEIRO
A coisa mais fácil do mundo é dar palpite. Sei disso porque sou um grande palpiteiro (os colunistas em geral vivem disso, de dar palpites na vida dos outros). O ex e futuro secretário da Segurança, Ronaldo Benedet, gosta de falar num projeto de escola integral que ele tem. Não se conhece grandes projetos dele para a Segurança, mas dá seus palpites na Educação.

Seria bem legal se os encarregados de uma área importante como a Segurança se dedicassem a fazer bem o seu serviço (que vai além, muito além, de posar para fotos entregando chaves de “viaturas”). E que o pessoal da Educação também fizesse o mesmo. Assim, o governo ficaria mais concentrado nos seus objetivos, sem se dispersar duplicando esforços e desviando o assunto.

ESSA DALVA...
A futura secretária do Desenvolvimento Social, Dalva Dias (que tem sempre que usar o “de Lucca” no meio do nome, pra evitar o cacófato) garante que a gestão dela será melhor que a do Cézar Cim, de triste memória. Diz que vai escolher os auxiliares segundo “capacidade técnica e competência política”.

Então tá. Vamos esperar pra ver no que vai dar isso de “competência política” para diretores e gerentes.

CALENDÁRIO ALESC
A Assembléia Legislativa está fechada, para as festas, até 2 de janeiro. De 3 a 31 de janeiro, o expediente será em turno único, das 13 às 19 horas. No dia 1º de fevereiro os 40 deputados estaduais eleitos tomam posse para dar início à 16ª Legislatura. E tudo volta ao normal. Ou quase.

É que esta será uma legislatura majoritariamente governista. Mais ainda que a que termina agora.

CALENDÁRIO UFSC
Para a Universidade Federal de Santa Catarina 2006 não termina dia 31 de dezembro. Graças à desorganização do calendário escolar promovido pelas greves de professores, 2006 só vai terminar dia 2 de março de 2007.

O primeiro semestre de 2007, na UFSC, começa dia 19 de março. E até seria possível ter um ano acadêmico normal, que terminasse no final do ano. Mas nada garante que a turma não vá aproveitar o primeiro ano do governo Lula pra dar mais uma revigorante paradinha reivindicatória.

PAÍS DE CONTRASTES – Este cidadão mora, há mais de um ano, numa árvore, na esplanada dos Ministérios, em Brasília. Com vista para o Congresso. Segundo o MInistério das Cidades faltam, no Brasil, 7,9 milhões de moradias.

2 comentários:

Carlito Costa disse...

César, você deve estar com pressa de ver o ano acabar, mas hoje é quarta, não quinta.

Cesar disse...

eheheh
é verdade, não vejo a hora. Obrigado pelo aviso. Já corrigi.