quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Irregularidades no Mercado

O Mercado aí do título não é o tal que está em crise no mundo todo, mas o próprio Mercado Municipal Aldírio Simões, de Florianópolis, cuja reforma, feita às pressas depois do incêndio, está, segundo o Tribunal de Contas de Santa Catarina, sob suspeita de diversas irregularidades.

É o que diz a Decisão n. 4057/2008, publicada no último dia 19 de dezembro, a respeito do processo DIL - 05/04121596. O tribunal converteu o processo em “Tomadas de Contas Especial”. Isto, para bom entendedor, significa que tem caroço nesse angu. E é preciso levantar o tapete (preto?) para ver o que foi escondido ali.

Os responsáveis citados são Dário Elias Berger (Prefeito Municipal), Djalma Vando Berger (ex-Secretário de Obras), Luiz Américo Medeiros (Engenheiro Fiscal de Obras) e Leonardo Viegas (da Construtora JB Ltda.)

E quais seriam as irregularidades a serem investigadas? Ora, nada muito extraordinário: pagamentos a maior em uns 28 itens, pagamento por serviços não executados, pagamento por “serviço sem quantificação, sem especificação, impossibilitando a comprovação da execução”, ausência de projetos básicos, ausência de aprovação dos projetos nos órgãos competentes, descumprimento de uns quantos artigos da Lei das Licitações, pagamento antecipado, “sem a devida contraprestação dos serviços” em sete itens, realização de pagamento sem a medição prevista no contrato, etc e tal.

É bastante coisa, e coisa cabeluda, que os citados terão 30 dias para explicar. Mas os irmãos Berger, que já enfrentam outros processos semelhantes (por obras em São José), no Tribunal de Contas da União, aparentemente não se abalam com isso.

Colocam tudo na conta da perseguição política que lhes move o ex-governador Amin, que não se conforma com a derrota e de outras perseguições de gente inconformada com o sucesso da família.

Mais uma pizza, daquelas de oito fatias, está no forno.

9 comentários:

Anônimo disse...

Tio César,

Todo dia têm surpresas desta turma.
E o suplente de Vereador - Stroich, não era o responsável pelo Mercado? Não foi listado?

Wilmor Henrique disse...

Pô! Como essa turma(e a outra também, quando é o caso), reclama de perseguição política, quando alguém pede explicação sobre prestação de contas meia-sola.
Explica aê infeliz!

Anônimo disse...

Sabe o que o Daro vai dizer? Vai dizer que a culpa é de quem construiu o Mercado há séculos atrás.........

Ricardo disse...

Ora pois, pois.
Nem precisava olhar as contas, todos viram em Outdoor gigante um valor "irrizóio" na época que dava para construir 3 mercados.
Feito com tijolos de concreto moldado que custa uma bagatela.
Claro que tem superfaturamento e outras tretas.
Pena que o Aldírio se matou antes. Se tivesse vivo, daria de dedo na cara do Prefeito.
Deve estar se remoendo no túmulo.

Anônimo disse...

Ôôôô César !
Isso deve ser intriga do Amin, dirá o Moridário !!!!

Anônimo disse...

tio cesar olha o q li agora no MOA:
Q aberração,q absurdo...e "São obras que multiplicarão o movimento de veículos na SC-401. Sobre melhoria na rodovia estadual,"ninguém no governo dá notícias",maravilha!!!!

O Sapiens Park, agora presidido pelo advogado Saulo Vieira, decola hoje a tarde, em Canasvieiras. Vários atos serão assinados hoje, às 17,00 horas. A saber: Licença para construção do condomínio horizontal, licença para construção das primeiras edificações do empreendimento, inicio da obras do sistema viário do Sapiens Park, lançamento da Arena Multiuso e edital para construção da sede do Instituto do Petróleo.

São obras que multiplicarão o movimento de veículos na SC-401. Sobre melhoria na rodovia estadual, ninguém no governo dá notícias.

Anônimo disse...

Não foi a toa que, na época do incêncio, o prefeito em viagem ao Chile com o Governador, se mandou imediatamente para Floripa, pois essa boquinha não ia deixar para o vice Bita, ou não acreditava na capacidade do Bita resolver sozinho..

Anônimo disse...

Não tem dúvida, isso é coisa do Amin, só pode. Perseguição...rss

Anônimo disse...

Esse pessoal tem uma fixação por obras. E quanto mais vultosas, melhor. Adivinhem porquê...