sábado, 3 de janeiro de 2009

Celebridade post-mortem

O padre balonista paranaense ganhou o Darwin Awards de 2008.

Aqui (em inglês).

Pra quem nunca ouviu falar, o prêmio Darwin é uma brincadeira internacional, que “premia” todos os anos os casos verídicos de pessoas que acidentalmente tenham excluído-se a si mesmas do genoma humano, contribuindo, desta forma, para “o aperfeiçoamento” da humanidade.

Parece cruel, mas ao ler as histórias com atenção (infelizmente estão em inglês), percebe-se que, além do humor negro, há uma crítica sarcástica àquilo que, no Brasil, chamamos genericamente de burrice. Portanto, cada vez que alguém comete uma estupidez tamanha que lhe tira a vida, passa a ser candidato natural ao Darwin Awards.

5 comentários:

Anônimo disse...

Coitado...mas o prêmio realmente foi merecido, rsss.

jânio disse...

A igreja dele deveria ressarcir os cofres públicos que gastaram mais de 1/2 milhão de reais para procurar resquícios do seu DNA. Até porque, tivesse ele sucesso, seria mais uma vitória da "fé em Deus". Tremendo marketing!

Spesso disse...

Alô!! Como se usa o GPS?? Alô!! Câmbio. Alguém me escuta??? Gerôôôôôôôôôôniiiimooooooooo!!!!! (som do coiote do Papa Léguas caindo). HAHAHAHA

Esse foi tarde. E depois dizem que burrice não mata.

Anonimo da Silva disse...

Cesar o padre é paranaense. O que é catarinense é o poço de petróleo na plataforma marinha.

Anônimo disse...

O padre é paranaense, mas se é por burrice, será que alguns dos nossos governantes daqui não teriam mais méritos que o padre para receber o prêmio ?
A diferença é que a aventura do padre acabou só com a vida dele, enquanto a dos nossos governantes afetam a nossa vida !