sexta-feira, 10 de novembro de 2006

SEXTA

E AÍ, DONA MARISA?
A colunista Danusa Leão escreveu uma crônica deliciosa cobrando, da Dona Marisa, algum tipo de atividade.

Vi o texto da Danusa no blog do Horácio, o divertido blumenauense do coisasdohoracio.com.br e trago alguns trechos, com um desafio: se algum petista (ou lulista) produzir alguns parágrafos razoáveis em defesa da Dona Marisa (sem apelar para o velho recurso de xingar a cronista) e me mandar, eu publico.

Carta a D. Marisa
por Danusa Leão (trechos)
“D. MARISA, a senhora deve estar muito feliz; seu marido ganhou as eleições, e será presidente por mais quatro anos. Parabéns.

Imagino que quando ele foi eleito pela primeira vez, deve ter sido difícil para a senhora; seria para qualquer mulher. Se habituar a uma nova vida, ter que fazer coisas em que nunca pensou; por outro lado, não poder mais fazer um monte de coisas às quais estava habituada, ter que obedecer ao protocolo, andar cercada por seguranças, não poder entrar num shopping – a senhora deve ser louca por um shopping, não? – e tendo que ter uma vida privada quase secreta, já que a imprensa está sempre de olho.

(...) Devem ter sido quatro anos difíceis, mas já passaram.

Agora a senhora tem mais quatro pela frente; quais são seus planos?

Não seria hora de fazer alguma coisa além de ficar sentada naquela cadeirinha, nas cerimônias oficiais, enquanto seu marido discursa? Ah, d. Marisa, esse país é cheio de problemas (...)

(...) Capacidade a senhora tem: não me esqueço de um programa de televisão onde a vi fazendo sanduíches para vender nas assembléias de metalúrgicos, anos antes de sonhar onde iria chegar.

Esse tipo de coisa a senhora não precisa mais fazer, mas existem outras que não seriam nenhum sacrifício, e que poderiam fazê-la até muito feliz por estar ajudando o governo de seu marido. Porque botar uma camiseta, sorrir e aplaudir, convenhamos, é muito pouco.

Fazer o quê? Não falta quem lhe diga. Seu marido tem um monte de assessores, todos prontos para ter 50 idéias geniais para que a senhora faça alguma coisa que melhore a vida de quem precisa. A senhora é forte, decidida, e não tem sentido passar mais quatro anos trocando de terninho para acompanhar o presidente nas viagens, sorrindo para os fotógrafos, não dizer nada sobre assunto algum, e não fazer rigorosamente nada.

Não que a senhora tenha obrigação, mas seria bacana termos uma primeira-dama engajada em algum projeto social, fosse ele qual fosse.

Mas se a senhora quiser continuar a viver a vidinha que vive há quatro anos, poderia pelo menos – pela imagem, d. Marisa, pela imagem – visitar às vezes um hospital público (sem avisar, para ver a fila na porta), uma creche, uma escola, para mostrar que se interessa pelos mais necessitados, e que seus próximos quatro anos não serão mais apenas umas férias passadas entre o Alvorada e a Granja do Torto, além de viajar pelo mundo no seu luxuoso jatinho. Pense nisso, d. Marisa. Pegaria muito bem.”

ATÉ TU, MINERVA?
O PT e o PP são adversários do PFL no Brasil e em Santa Catarina. Aqui, também não se dão bem com o PMDB e o PSDB. Pois mesmo assim os deputados dos dois partidos conseguiram aprovar, por maioria, uma mensagem contra a condenação, por injúria, calúnia ou coisas parecidas, de um “intelectual” petista daqueles que antigamente a gente chamava de “chiitas” e agora chama de “pitbulls”.

O problema é que o petista foi condenado porque escreveu um artigo recheado de ódio contra Jorge Bornhausen, presidente do PFL.

A moção, nos votos da Assembléia, ficou empatada. Os governistas e pefelistas de um lado, pepistas e petistas de outro. Foi preciso o “voto de Minerva” do Presidente da Assembléia, o pefelista Júlio Garcia, que tinha acabado de ser ungido como candidato preferencial de Luiz Henrique para mais dois anos na presidência da Casa. Desempatou contra o senador Bornhausen. Ninguém entendeu.

ESSE PT...
Cada vez que eu decido parar de pegar tanto no pé do PT, acontece uma coisa nova. Lembram que a Polícia Federal levou repórteres da Veja para interrogar e deu uma leve prensa que eles interpretaram como excesso de intimidação? Pois é, mal acabou de passar essa pequena crise, a Polícia Federal (de novo?), cumprindo mandatos judiciais, quebrou o sigilo telefônico de dois telefones pertencentes ao jornal Folha de S.Paulo.

Assim fica difícil a gente acreditar que o governo não está mesmo tentando intimidar a imprensa.

6 comentários:

Thiago disse...

César,

O Emir Sader não é petista...é esquerda radical, nem sendo filiado à nenhum partido político. Chamou voto pra Heloísa no primeiro turno. Mas, no segundo, é claro, foi de Lula.

Thiago Duwe
Estudante

Cesar Valente disse...

Ô Thiago, obrigado pela informação. Em todo caso, o PT está aproveitando para fazer marola com o caso, porque o Bornhausen é inimigo comum.

Anônimo disse...

Cesar,

A prisao do Vereador Juarez Silveira e a reacao dos Governos Minicipal e Estadual, demonstram inequivocamente a cara do politicos catarinenses.

O Prefeito mantem um criminoso na lideranca do Governo e desdem do fato dele ter sido preso com quase 170 garrfas e bebidas.

Ja o Governador ainda nao o demitiu da Diretoria da Codesc.

Essa conivencia com o crime mostra que a populacao catarinense tem sido complacente com a classe politica.

Tomara que nao haja uma quadrilha de crime organizado na classe politica. Tamara....

Pedro de Souza

Rafa Stripes disse...

Oi Cesar, sobre o texto da Danusa: ela fantasia e faz suposições a respeito das impressões da D.Marisa, para depois, essencialmente, cobrar alguma ação social da dela.

É bom que, pelo menos, a Danusa, você e outros que estão replicando esse texto realizem ações sociais. Senão caímos de novo naquela coisa ridícula do brasileiro ficar cobrando dos outros o que ele mesmo não faz.

Wladimir disse...

Sabe, achei interessante. De fato nossa primeira dama tem capacidade para liderar alguma ação de impacto na sociedade. E na sociedade brasileira o que não faltam são causas para serem abraçadas.

Acho que ela deveria pensar mesmo em realizar algo a respeito.

Agora, é bom lembrar também que já tivemos recentemente outra primeira dama que passou oito anos no Palácio Alvorada. O que foi mesmo que ela fez? ...

Anônimo disse...

Senhor Colunista,
Em relação ao seu comentário e maldosa matéria sobre A ESCOLA DO BARULHO .... Tem uma escola, no Jardim Anchieta, em Florianópolis..... acho bom rever seus conceitos... ou também é mais um desses incomodados que não tem o que fazer, a favor de meia dúzia de gente que não se conforma com o barulho de crianças na hora do recreio... vá primeiro conhecer o colégio para depois falar.... Meus filhos , um já estudou lá e o outro estuda... e o barulho " tão nocivo" a saúde, garanto que é menor e por menos tempo que as baladas que muitos colunistas e outros frequentam, é menor que o trânsito de Florianópolis, menor que morar na Beira-mar, menor que o ar condicionado da sua sala.... menor que o barulho que os adultos fazem. E olha que é só na hora do recreio.. Tem mais, muitos destes incomodados moradores chegaram bem depois da escola estar no bairro.
Acho bom, antes de defender qualquer um e dar sua opinião é ver oque está acontecendo. Repito,conheça o colégio, garanto que vai começar a falar diferente.....
A frase alegria de criança dura pouco, é bem certa mesmo.... E,
têm autoridades, os "do contra" a tudo que parece que não tiveram infância...
21/11/07